Boletim Mineiro de História

Boletim atualizado todas as quartas-feiras, objetiva trazer temas para discussão, informar sobre concursos, publicações de livros e revistas. Aceita-se contribuições, desde que versem sobre temas históricos. É um espaço plural, aberto a todas as opiniões desde que não contenham discriminações, racismo ou incitamentos ilegais. Os artigos assinados são de responsabilidade única de seus autores e não refletem o pensamento do autor do Boletim.

26.10.05

Número 58 - Nova fase: 010


DEPOIS DO REFERENDO, A CRISE VOLTA...
Pois é... quem achava que a crise política estava terminando, com a grande pizza já devidamente assada e pronta a ser servida... parece que se enganou...Assuntos que haviam “passado batido” no primeiro turno das CPIs, voltaram de forma bombástica, levando o senador mineiro Eduardo Azeredo a renunciar à presidência do partido que se erigiu em Vestal da ética e que de repente, não mais que de repente, viu-se na mesma incômoda posição do PT. Afinal, todos estamos vendo que apesar dos famosos desmentidos e comentários irados da cúpula psdbista, é a mesma coisa... é a praxe... é a rotina das nossas elites no trato com a coisa pública. Pimenta nos olhos do outro é refresco, já nos nossos.... rssss.....
Bem, mas não vou devotar o Boletim todo à crise. Há três artigos, muito interessantes, na sessão Brasil, mais abaixo.
Vamos diversificar, como sempre fazíamos, afinal o mundo tem muita coisa para a gente discutir...
E tome lá:
Vamos detonar o best-seller Código da Vinci, com o artigo da jornalista e quase historiadora Renata Férrer. Vamos falar da aprovação da Convenção da Diversidade Cultural (assunto importantíssimo e que, para variar, a grande mídia sequer esboçou algum comentário a respeito). Vamos discutir – e quero ouvir opiniões de vocês a respeito – o absurdo que está para ser aprovado nos Estados Unidos: a autorização para que a CIA possa torturar!!! Não que ela não faça isso, mas o que se quer é LEGALIZAR A TORTURA!!!
Vamos comentar também o que nossa amiga Cristina Castro fala sobre a soltura dos irmãos metralha, ops...me confundi... a soltura do Maluf pai e filho..
E tem muito mais coisa para ser lida... noticias de nuestra America - Uruguai e Venezuela - muitas notícias de congressos, muitas indicações de sites interessantes e muitos livros e revistas...
Bom proveito
Ricardo

Falam amigos e amigas

1. Ei Ricardo! O boletim desta semana ficou bom demais! O tipo de leitura que eu gosto de fazer, informativa, de qualidade e, principalmente, variada!Nota 1000 pra você, super bem selecionados os textos!
BeijosCarla

2. Ola, Quanto tempo!Agora estou respondendo seu e-mail de Newark, NJ, USA.Estou aqui ha 3 meses, fazendo curso de inglês e trabalhando.Mantenha contatos.Beijos, tenho muita saudades de suas aulas!
Lílian Eleto Gomes
3. Abaixo, artigo sobre vitória dos que - como o professor Jayme - defendem a livre manifestação/preservação cultural dos/entre povos.
Este assunto foi tratado em reunião na 33ª Conferência Geral da UNESCO e vem reforçar a urgência da proteção das manifestações culturais e sua utilização - soberania - pelos povos.
O irônico é que - mais uma vez - o "Grande Irmão do norte" encabeça o coro daqueles que se movem em sentido contrário impingindo à cultura a lógica capitalista a partir de sua massificação sob a estética hollywoodiana, que como bem sabemos é mais do que uma indústria cultural.
É isso. E como diz o Tom Zé:........ O que nos ilude é Hollywood!
Guilherme Souto

UNESCO aprova Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais
Por 151 votos a dois, a Comissão de Cultura da 33ª Conferência Geral da Unesco aprovou nesta terça-feira, dia 18 de outubro, a Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, numa decisão histórica comemorada pelos delegados dos países-membros e pelos representantes da sociedade civil presentes à reunião. Os únicos países a votar contra foram os Estados Unidos e Israel. Houve duas abstenções, da Austrália e de Kiribaty.
Entre outras conseqüências, a decisão fortalece a posição dos governos que queiram estabelecer políticas de proteção e fomento às suas indústrias culturais e cria amparo internacional para a defesa das culturas e manifestações artísticas locais. O documento aprovado "reitera o direito soberano dos Estados de conservar, adotar e aplicar as políticas e medidas que considere necessárias para proteger e promover a diversidade das expressões culturais em seus respectivos territórios". Entre estas medidas, é reconhecido o direito dos Estados de "conceder assistência financeira pública".
O texto defende o "fortalecimento das indústrias culturais nos países em desenvolvimento" e a "transferência de tecnologia no campo das indústrias e das empresas culturais". Além disso, reconhece "o papel fundamental que a sociedade civil desempenha na proteção e promoção da diversidade das expressões culturais" e estabelece que os países signatários "fomentarão a participação ativa da sociedade civil para alcançar os objetivos" da Convenção.
O texto da Convenção, com 40 páginas e 35 artigos, é o resultado de três anos de trabalho da Unesco e define que os bens e serviços culturais, são "de índole ao mesmo tempo econômica e cultural, porque são portadores e identidades, valores e significados e, por conseguinte, não devem ser tratados como se só tivessem valor comercial".
Uma conseqüência prática importante é a não subordinação das indústrias fonográfica, editorial e audiovisual às regras do livre comércio e às decisões da Organização Mundial do Comércio (OMC), já que o relatório final reconhece expressamente "A UNESCO como única agência com responsabilidade pela cultura no âmbito das Nações Unidas".
Considerado o mais importante instrumento para a proteção das culturas, manifestações artísticas e idiomas contra o avanço avassalador da indústria cultural norte-americana e a globalização da língua inglesa, a convenção enfrentou todo tipo de oposição por parte dos Estados Unidos. Para evitar a adoção da convenção, o governo Bush exerceu toda sorte de pressões sobre os países membros da UNESCO e tentou a apressada assinatura de Tratados bilaterais, nos quais os outros signatários deveriam liberar a entrada de produtos culturais norte-americanos em troca de garantias e cotas de exportação para seus produtos.
Comprovando a importância dada pelos EUA para as indústrias culturais, a própria Secretária de Estado Condolezza Rice entrou em contato com os ministros das Relações Exteriores dos países-membros manifestando sua "grave preocupação" e passou três dias em Paris atrás de apoio para as 28 emendas sugeridas pelos Estados Unidos para descaracterizar o texto.
É interessante ressaltar que os principais argumentos apresentados pelos Estados Unidos - de que o documento é "injustamente protecionista" e pode "favorecer o totalitarismo e a suprimir a liberdade de expressão" - são os mesmos que foram usados aqui no Brasil para impedir a regulamentação do audiovisual. Entre os delegados, estiveram presentes 15 ministros e vice-ministros da Cultura, inclusive Gilberto Gil, que no final declarou: "A esta altura da história mundial, nenhum país pode se impor aos demais, nenhuma sociedade pode buscar soluções por conta própria, nenhuma corporação ou governo pode sobrepujar a necessidade de uma governança multilateral baseada nos direitos humanos. Agora não há mais possibilidade de recuo, a Convenção será adotada".
As entidades da sociedade civil tiveram acesso à reunião, com direito a voz, e manifestaram sua posição favorável através dos dirigentes do Comitê de Enlace das Coalizões pela Diversidade Cultural e das Coalizões do Canadá, Camarões e Senegal. Para que a Convenção Internacional seja adotada, o documento vai à votação na Plenária do dia 21 e entrará em vigor três meses depois de ser ratificada por 30 dos países signatários.

Leia mais sobre esta Convenção:

Cultura não é mercadoria
Emir Sader
A Unesco aprovou na semana passada, com pouquíssima repercussão na imprensa brasileira, a Convenção sobre Diversidade Cultural. A resolução foi apoiada por 148 países, com 2 votos contra - EUA e Israel, para quem os intercâmbios culturais deveriam ser regidos pelas mesmas leis do comércio internacional.(leia mais)

Noticias

1. II SEMANA DE HISTÓRIA DA UFRRJ
De 21, 22, 23, 24 e 25 de Novembro.
Convidados:Manoel Luis Salgado Guimarães (UFRJ), Marcus Dezemone (UERJ), Fábio Lessa (UFRJ)Silvana de Paula (CPDA-UFRRJ), Verena Alberti (CPDOC-FGV), Icleia Thiesen (UNIRIO)Mônica Lessa (UERJ), Arlette Gasparello (UFF), Sônia Maria Wanderley (UERJ), entre outros...E professores da UFRuralRJ. Local:Campus da UFRRJ – Seropédica
Inscrições GRATUITAS de:13/10 A 21/11 – OUVINTES13/10 A 04/11 – MINI-CURSOS13/10 A 11/11 – PAINÉIS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - Enviar Nome, RG, Curso, Instituição de Ensino e Telefone de Contato para o e-mail:semanadehistoriaufrrj@yahoo.com.br
Aqueles que forem apresentar painéis de IC, enviar resumo em anexo.Maiores informações pelo e-mail: dalh_ufrrj@yahoo.com.brOu Carlos: 9105-4049 e Priscila: 9954-4962

2. 8º Cidade Revelada
Encontro de Patrimônio Histórico, Arquitetura e Turismo
09, 10 e 11 de novembro de 2005 – Itajaí – SC – Brasil

APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÕES E PÔSTERES

Os temas deverão ser desenvolvidos dentro da temática de Patrimônio Histórico, Arquitetura e Turismo.
Toda a correspondência referente a publicação e envio de arquivos deverá ser encaminhada para cidaderevelada@itajai.sc.gov.br (exceto vídeos) ou para :
Fundação Cultural de Itajaí
Depto. de Patrimônio Cultural – Coordenação Cidade Revelada
Rua Lauro Müller, 53 – Centro – Itajaí – 88301-400 – SC- Brasil


3. TERCER CONGRESO NACIONAL DE ARQUEOLOGÍA HISTÓRICA

“Continuidad y cambio cultural en Arqueología Histórica”
18 al 20 de mayo de 2006 - Escuela de Antropología – Facultad de Humanidades y Artes – Universidad Nacional de Rosario
CONFERENCISTAS INVITADOS

La Comisión Organizadora informa que durante el “III Congreso Nacional de Arqueología Histórica” se dictarán dos conferencias. Son conferencistas invitadas las investigadoras:
Dra. Theresa Singleton, de la Universidad de Syracuse, Syracuse, NY, USA.
La Dra. Singleton es especialista en arqueología afroamericana, problema sobre el que ha hecho
importantes contribuciones a partir de investigaciones realizadas en distintos sitios del este de los Estados Unidos y área del Caribe.

Dra. Beatriz Rovira, Directora de la Escuela de Antropología de la Universidad de Panamá.
Actualmente dirige el “Proyecto Panamá Viejo” desde el Patronato Panamá Viejo.

4. Simpósio VISÕES DA AMÉRICA COLONIAL – LITERATURA, ICONOGRAFIA E HISTORIOGRAFIA DOS SÉCULOS XVI AO XVIII a se realizar de 17 a 21 de julho de 2006 no Congresso Internacional de Americanistas em Sevilha - ESPANHA.

5. MEC - SESU- Secretaria de Educação Superior - Concurso de redação leva universitários a Paris

Estudantes do ensino superior de todo o Brasil podem ganhar uma viagem a Paris com todas as
despesas pagas. A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco)
e o grupo Folha Dirigida, com apoio do Ministério da Educação, criaram o Concurso de Redação
para Universitários, que premiará os autores dos cinco melhores textos com uma viagem à capital
francesa, em maio do ano que vem.
Para concorrer, basta elaborar texto sobre o tema Educação: Importante ou Prioritária? As
inscrições, que já estão abertas, estendem-se até 15 de novembro. A redação pode ser em
prosa, verso, ensaio ou crônica, entre 20 e 40 linhas. Os cem textos mais bem classificados serão
publicados em um livro trilíngüe (português, inglês e francês), a ser entregue ao diretor-geral da
Unesco, Koishiro Mtasuura, em Paris, e distribuído em 191 países. “O objetivo do concurso é levar
os universitários a fazer uma reflexão sobre grandes temas de interesse universal. No primeiro
ano foi a paz. No segundo, a solidariedade. Agora, a educação”, disse Afonso Faria, coordenador
do projeto.
Nos dois primeiros anos, o concurso foi restrito aos alunos das faculdades públicas e particulares
do Estado do Rio de Janeiro. Cerca de 13 mil estudantes participaram em 2003 e 2004. Este
ano, pela primeira vez, é realizado em âmbito nacional.

Divulgação — A lista com as redações selecionadas será divulgada em fevereiro de 2006. Em
março, será publicada a relação dos autores dos 20 melhores textos, que farão uma segunda
prova de redação, no Rio de Janeiro, no dia 26 de abril. No dia seguinte, será feito o anúncio dos
cinco ganhadores da viagem a Paris.
Os estudantes receberão ajuda de custo de 150 euros (R$ 431,2) e terão as despesas de
hospedagem e passagem aérea pagas. O pacote inclui cinco dias de passeios culturais e
turísticos em Paris e a entrega do livro à direção-geral da Unesco.

A redação pode ser enviada para o endereço eletrônico educacao@folhadirigida.com.br, pelo fax
(21) 3233-6233 ou pelos Correios (Promoção Educação — Rua do Riachuelo, 114, Centro, CEP
20230-014, Rio de Janeiro, RJ).

Maiores informações: http://portal.mec.gov.br/sesu/ notícias

6. ABERTO EDITAL PARA MAPEAMENTO, DOCUMENTAÇÃO E APOIO AO PATRIMÔNIO
CULTURAL IMATERIAL


O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional lança o Edital Mapeamento, Documentação e Apoio ao Patrimônio Cultural Imaterial. O objetivo é promover a salvaguarda do patrimônio cultural brasileiro, em sua dimensão imaterial, por meio da produção e do tratamento de informações sobre bens dessa natureza e também mediante a promoção da melhoria das condições sociais e materiais que propiciam sua existência e continuidade. Essa é uma ação do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial, instituído pelo Governo Federal em 2000.

O Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan receberá, até o dia 04 de novembro de 2005, dois tipos de projetos para fomento: de pesquisa documental e projetos que visem à melhoria das condições de transmissão, produção e reprodução de bens culturais imateriais. Os projetos de pesquisa documental sobre o patrimônio cultural imaterial (saberes, modos de fazer, formas de expressão e lugares) restringem-se aos estados do Acre, Alagoas, Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, Paraíba, Rondônia e Roraima. Os projetos visando à melhoria das condições de continuidade dessas expressões, isto é, de transmissão de conhecimentos para as novas gerações; de valorização de detentores de conhecimentos tradicionais; de organização comunitária e gerencial de produtores desses bens e de capacitação de agentes para atuar nesse campo, abrangem os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins.

Qualquer instituição, pública ou privada, não vinculada à estrutura do Ministério da Cultura, e ligada à cultura, à pesquisa e ao patrimônio, nos termos do edital, poderá participar da seleção. Serão destinados R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) aos projetos selecionados, os quais não poderão ultrapassar o teto máximo de R$ 100.000,00 (cem mil reais). A proposta deverá ser enviada aos cuidados do Departamento do Patrimônio Imaterial do Iphan, no seguinte
endereço: Setor Bancário Norte quadra 2, Edifício Central Brasília, 1º subsolo, cep 70040-904 – Brasília, DF.

Mais informações nos telefones (61) 3414 6137 e 3414 6138. O edital pode ser consultado na íntegra no sítio eletrônico do Iphan: www.iphan.gov.br.

7. IX SIMPÓSIO INTERNACIONAL PROCESSO CIVILIZADOR - Tecnologia e Civilização

De 24 a 26 de novembro de 2005. Ponta Grossa, Paraná, Brasil
CHAMADA DE TRABALHOS - Data limite para envio: 14 de Outubro de 2005 Apresentação
Nascido em 1996, na Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, sob a coordenação dos professores Dr. Ademir Gebara e Dra. Maria Beatriz Rocha Ferreira, o SIMPÓSIO INTERNACIONAL PROCESSO CIVILIZADOR reúne anualmente profissionais e estudantes na área de humanas, sociais e exatas, para uma reflexão conjunta sobre as questões mais importantes no pensamento do sociólogo alemão Norbet Elias.
O Evento já foi realizado por algumas das principais instituições do Brasil, como a UNICAMP, UNIMEP, UFPR, UNESP e UFPB. Este ano, o CEFET-PR terá a honra de sediar o IX SIMPÓSIO
INTERNACIONAL PROCESSO CIVILIZADOR, que terá como tema "Tecnologia e Civilização".

Entre os convidados, nomes como Stephen Mennel, PhD. (Department of Sociology, University College Dublin), Eric Dunning, Phd. (University of Leicester), Cas Wouters, PhD. (Utrecht University), Dr. Carlos Américo Pacheco (IE, UNICAMP); Dr. Ricardo Benetton Martins (CPqD Telebrás); Dr. Gustavo Gutierrez (FEF, UNICAMP), Maria Cecília Rafael de Góes, PhD. (PPGE, UNIMEP), Drª.Silvia Fernanda de Mendonça Figueiroa (IG, UNICAMP), Ademir Gebara, PhD. (PPGE, UNIMEP), Dr. Edgard Salvadori De Decca (IFCH, UNICAMP)
Maiores informações: www.pg.cefetpr.br/simposio

8. Congresso Internacional: VALLADOLID - Cólon 2006
"V CONGRESSO DA MORTE DO ALMIRANTE"

De 15 a 19 de maio de 2006.

Tema: Cristóvão Colombo e outros aspectos da vida do Almirante e da presença espanhola na América.
O Congresso é a reunião de pesquisadores, historiadores de todo o mundo para celebrar a morte do almirante Cristóvão Colombo, que teve lugar em Valladolid (Espanha) em 20 de maio de 1506.
Maiores informações: sidc@ieip.uva.es fax +34 983 796338

9. A UNIPAC de Ribeirão das Neves comunica seu vestibular:

Período de Inscrição
01 a 18/11/2005 (Internet, secretaria da faculdade, com comprovante definitivo de inscrição)
19 a 23/11/2005 (Internet, SEM COMPROVANTE DEFINITIVO DE INSCRIÇÃO)

Local de inscrição
Em Ribeirão das Neves
UNIPAC - Av: Hum, nº 556 - Distrito Industrial João de Almeida / Unipac/Neves Tel: 3625-7192. De 2º a 6º: de 8h às 21h - Sábado: de 8h às 12h
COP SERVICE & DESIGNER – Av. dos Nogueiras, 12 sala 2, sobre a Drogaria Sapori Tel: 3031-4916 3031-4530
RIGHT PRÉ VESTIBULARES – Rua: Manoel Teixeira Camargo, 22, em frente ao Hospital São Judas Tadeu, Centro – Neves. Tel: 3624-4187

Em Belo Horizonte
SHOPPING O PONTO - Av: Padre Pedro Pinto, S/N
Data da Inscrição: De 01 a 18/11/2005

Data da Prova
27 DE NOVEMBRO DE 2005

Cursos oferecidos: Educação Física, Enfermagem, Administração, Ciências Biológicas e Turismo/Hotelaria.

10. Bóris Fausto na TV Câmara
Para quem se interessar, nesta sexta-feira, às 7h30 da manhã, a TV Câmara vai exibir um documentário sobre História do Brasil (período imperial) apresentado pelo historiador Bóris Fausto.

Artigo da semana

Todos já ouviram falar e muitos, provavelmente, já leram o mais recente best-seller metido a besta: O código da Vinci. Pensei em ler, apesar de toda minha indisposição contra best-sellers. Mas andei lendo comentários e mais comentários, críticas e mais críticas, elogios e mais elogios e fiquei na dúvida. Tomei a decisão de não ler depois que minha grande amiga Renata Férrer, jornalista e em breve historiadora formada pela UFMG postou no blog dela um ácido comentário, desmontando os pretensos argumentos históricos do autor do referido lixo, ops... livro!!!! (ato falho, será?)
Leiam e comentem:

O cara é engenhoso, isso temos que admitir. Ele faz um mosaico que aos poucos vai se montando e (quase) fazendo sentido. Agora, dizer que é bem escrito, como ouvi por aí, é um baita exagero. Encarar Dan Brown depois de ler Cem anos de solidão é dose. A impressão que tive é que estava lendo um roteiro de cinema (californiano). Mais: que o roteiro tinha sido baseado no Google e em meia dúzia de best-sellers polêmicos anteriores. Mas o pior foi se revelando aos poucos. A "pesquisa" dele tem muita cara de google puro. Ele erra ABSURDAMENTE.
Para começar, ele resolve falar de obras de arte e da Bíblia, mas parece não saber o básico de algumas obras que cita e nem ter sequer folheado as Escrituras. Ainda por cima, comete erros históricos graves - tão graves que até eu detectei alguns em segundos. Por exemplo: ele cita algumas vezes que o Vaticano fez isso ou aquilo no século IV depois de Cristo, ou nos primeiros séculos da Igreja primitiva. Alguém avise a ele que nessa época o "Vaticano" ainda NÃO EXISTIA. Mais: não se cansa de repetir que "Eva comeu a maçã". Dan andou lendo Branca de Neve, porque o Gênese diz "fruto da árvore do conhecimento". A maçã é fruto do imaginário popular, e, portanto, se o eruditíssimo Langdon é um grande conhecedor dos textos sagrados e coisa e tal, não pode ficar falando de maçã.
Outro "detalhe", esse bem, bem feioso: Dan Brown diz que, em 325, Constantino unificou Roma sob uma única religião oficial, o Cristianismo. Aloouuuu, quem oficializou o Cristianismo como religião do Império foi Teodósio, mais de meio século depois! O que Constantino fez foi decretar a liberdade de culto, e assim diminuir as perseguições aos cristãos (e a outros). Gente, se o cara faz um livro colocando falas na boca de supostos eruditos, que explicam os maiores mistérios do mundo, mas não leu nem um livrinho de segundo grau sobre o Império Romano, dá para acreditar em alguma coisa do que ele apresenta como verdade (mesmo que seja na boca de personagens)?? Nesses momentos confesso que achei o livro meio ridículo, de tão pretensioso.
Engraçado também é um furo sobre uma peça primordial do quebra-cabeça. Fica clara a defesa da tese da adoração à deusa, ao "sagrado feminino". A "deusa" seria Maria Madalena. Ao mesmo tempo, ele diz que os evangelhos apócrifos foram proibidos porque humanizam tanto Jesus que põem em dúvida a divindade dele. Porém, Maria Madalena seria sagrada porque...concebeu uma filha de Jesus! Mas, vem cá, se Jesus não era divino, como a divindade de Madalena adviria deste fato?? É só parar para pensar: não faz sentido. Mais uma vez, o tema aqui não é religião. É lógica, um dos alicerces em que ele pretende basear o livro.
Agora, antes que vocês perguntem, vamos a uns pequenos pormenores bem simples em relação às obras de arte, que, obviamente, não fui euzinha que percebi. O quadro de Caravaggio que Jacques Saunière, o curador do Louvre mortalmente ferido, levanta da parede, pesa quase 100 Kg; o quadro A dama dos rochedos, de Da Vinci, cuja tela Sophie Neveu ameaça rasgar com o joelho, foi pintado em madeira, ou seja, não tem tela. Esses detalhes que tornam inconcebíveis as palavras de Dan Brown foram apontados pelo Mario Sergio Conti num artigo no Estadão. Simplesmente Brown resolve elucidar o que Leonardo da Vinci pensava ao pintar suas obras, mas não fez nem o dever de casa pra saber se ele pintou em tela ou madeira. Lastimável.
Existem ainda muitos, mas muitos erros e falsidades no livro. Como não sou nenhuma intelectual, algumas coisas eu só desconfiava de que deviam estar erradas, mas meu letradíssimo sogro esclareceu várias dúvidas. Escolhi algumas das inúmeras para contar aqui.
-- Ele afirma que os merovíngios foram os fundadores de Paris. Só que a cidade foi fundada por uma tribo celta de gauleses chamada, em latim, de Parisii, no século II a.C. O que os merovíngios fizeram foi escolher Paris como capital em 508 d.C. Dan Brown errou somente 800 anos, além da responsabilidade pela fundação.
-- Diz que os manuscritos do Mar Morto foram descobertos em 1950 e que contêm a verdadeira história do Santo Graal. Eles foram descobertos em 1947 e são documentos dos essênios, seita judaica, e não contêm nenhuma menção a Jesus ou a Maria Madalena.
-- Pior: ele afirma (inventa) que Maria Madalena foi proscrita pela Igreja, a qual proibiu que se tocasse no nome dela, e que hoje ela está presente apenas em "mensagens subliminares" em obras de arte, músicas ou obras de Walt Disney (Mickey Mouse, aliás, parece ser, ao lado de Da Vinci, o maior defensor de Maria Madalena e do "sagrado feminino", segundo Brown).
Novamente, peço para alguém avisar a ele que a Igreja a celebra como santa e que Maria Madalena é uma das poucas pessoas invocadas na Ladainha de Todos os Santos. E, ainda, há passagens no Novo Testamento (será que ele se deu ao trabalho de ler algum evangelho?) em que Madalena é abertamente exaltada.
-- Outro erro grotesco: ele diz que os judeus cultuavam uma deusa no Templo de Jerusalém, a shekinah. Shekinah não é nome de deusa, mas sim a designação que os rabinos davam à presença de Deus (Iaweh) junto ao seu povo.
-- Brown afirma que os evangelhos apócrifos contariam a "verdadeira história de Jesus", testemunhando que fora casado com Maria Madalena e que havia correntes cristãs que mantinham o culto ao "sagrado feminino". Mas obviamente omite o fato de que estes mesmos apócrifos (os quais foram escritos entre os séculos II e IV - alguns por seitas gnósticas -, ao passo que os Evangelhos do Novo Testamento foram escritos de 70 a 95 d.C., poucas décadas depois da morte de Cristo) reveladores provinham de ambientes que nós classificaríamos como machistas e continham textos nada agradáveis ao "sagrado feminino" e à "deusa". Eis um trecho do apócrifo de Tomé (114):"Simão Pedro lhes disse: 'Que Maria saia de nosso meio, pois as mulheres não são dignas da Vida.' Jesus disse: 'Eis que vou guiá-la para torná-la macho, para que ela se torne também espírito vivo semelhante a vós, machos. Pois toda mulher que se fizer macho entrará no reino dos Céus." Uau, o sagrado feminino bomba nos apócrifos!
Enquanto as "verdades" de Dan Brown são envoltas numa aura de mistério, essas poucas informações que estão aqui são verificáveis. Basta quem estiver a fim pegar livros de História, a própria Bíblia, estudos especializados de história religiosa...Gente, até os apócrifos podem ser lidos! Não precisa ir até os...tchanraannn...Arquivos Secretos do Vaticano!
Enfim, se você ler o livro como uma completa ficção, pode até ser legal. Realmente diverte, prende a atenção, como um livro policial ou um filme com o Morgan Freeman. Mas se você ler acreditando no que Dan Brown põe na boca de seus pseudoespecialistas Robert Langdon e Leigh Teabing, amigão, você estará adentrando num mar de ignorância disfarçada com uma pretensiosa aura intelectualóide. Se quer ler boa ficção sobre "mistérios da Igreja", vá de O nome da Rosa. Mas, policial por policial, ainda prefiro a humildade de Miss Marple e Hercule Poirot.
P.S. - Se alguma alma curiosa se interessar, tenho uma análise com muito mais informações sobre as maluquices do Uncle Dan - inclusive a desconstrução da lenda medieval do Santo Graal, meio grande para postar aqui.
P.S.2 - "P.S." na igreja de Saint-Sulpice não significa "Priorado de Sião", mas sim Pierre e Sulpice, os patronos do templo. E o destrinchamento da sensacional história da carochinha do Priorado também está disponível para quem se interessar.Aquele abraço.

Internacional

1. Bush quer que CIA tenha autorização para torturar.
Não, amigos e amigas, vocês não leram errado. É exatamente isso: como o Senado americano aprovou o orçamento militar mas acrescentou uma emenda proibindo terminantemente o uso de tratamento desumano, cruel ou degradante aos prisioneiros, o ilustre presidente Bush mandou avisar que IRÁ VETAR o orçamento militar se esta emenda não for retirada...
Leia a notícia no Portal Terra:
http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI724950-EI294,00.html
E eu que achava que já tinha visto de tudo neste mundo...

2. Ainda resta muito abacaxi por descascar
Hugo Cores
Tem havido erros. Algumas porcelanas quebradas. Mas o mundo não acaba aí. Isto aqui está recém começando. Ainda tem muito abacaxi para descascar e não podemos nos dar ao luxo do desânimo e da dispersão. Uma análise do governo Tabaré Vázquez.(leia mais)

3. A VENEZUELA DE CHÁVEZ
País incentiva economia popular para superar o neoliberalismo
Marco Aurélio Weissheimer - Carta Maior - 19/10/2005
Em visita ao Brasil, o ministro da Economia Popular da Venezuela, Elias Jaua, relata como o Governo Chávez prioriza a produção para consumo nacional, incentiva vocações regionais e investe no cooperativismo, na economia solidária e na integração continental.(leia mais)

4. Noam Chomsky é eleito o melhor intelectual do mundo
Agência Carta Maior / Ansa
O lingüista Noam Chomsky superou Umberto Eco, segundo colocado, com quase o dobro dos votos.(leia mais)
5. A ilusão como crime
Por Chico Villela
A dupla de criminosos de guerra Bush-Blair reina com apoio da grande mídia planetária.Leia http://www.novae.inf.br/pensadores/ilusao_como_crime.htm

6. SEGURANÇA ALIMENTAR
Empresas pressionam pela liberação das sementes Terminator
Maurício Thuswohl - Carta Maior - 26/10/2005
Batizadas de "sementes suicidas" pelos agricultores, sementes Terminator só germinam uma única vez, graças a uma tecnologia transgênica. Com comercialização proibida desde 2001, empresas pressionam por sua liberação. Ambientalistas denunciam riscos à biodiversidade e risco de monopólio.(leia mais)


Brasil

1. Marcos Sá Corrêa
Maurício Thuswohl - Carta Maior - 20/10/2005Clarão de 27 mil hectares de floresta desmatada em Cumaru do Norte (PA) não surpreendeu ambientalistas como Roberto Smeraldi, da Amigos da Terra, e Paulo Adário, do Greenpeace. Para eles, fatores que permitiram queda do desmatamento, conforme dados divulgados em junho, não existem mais.(leia mais)

Aqui estão os três artigos a respeito dos desdobramentos da crise politica. Não deixa de ser interessante o que os tucanos comentam a respeito...seria muito engraçado se não fosse tão patético...

3. Ex-tesoureiro confirma caixa 2 tucano nas eleições de 1998, em Minas Gerais
Luiz Augusto Gollo - Carta Maior - 19/10/2005
Fala de Cláudio Mourão, tesoureiro da campanha de reeleição do então governador mineiro Eduardo Azeredo, do PSDB, comprova existência do valerioduto cinco anos antes do início da CPMI dos Correios.(leia mais)
4. Tucanoduto mineiro
Nada na Veja; nada na Folha
Marco Aurélio Weissheimer
Mídia dá pouco destaque à conexão entre Marcos Valério e tucanos Leia http://www.novae.inf.br/pensadores/valerio_tucano.htm

5. Tucanos convocam Serra para tentar fugir às denúncias contra Azeredo
Luiz Augusto Gollo - Carta Maior - 26/10/2005
Prefeito de São Paulo ocupa temporariamente presidência do PSDB, após saída de Eduardo Azeredo, atingido por denúncias de caixa 2 que o ligam ao valerioduto. Senador diz que é inocente e classificou denúncias como "farsa". Agora, tucanos querem instalar uma nova CPI para investigar caixa 2.(leia mais)
6. Mãos atadas ou mãos servis: pior ou melhor?
Luis Fernando Novoa Garzon
De que adianta provar que Lula é “melhor” que FHC se nossa democracia foi encapsulada pelos mercados ao longo do mandato de um e de outro? Que margem de escolha é essa que não abrange a política econômica, definidora de todas as outras políticas? Leiahttp://www.novae.inf.br/pensadores/pior_ou_melhor.htm
7. Do blog Tamoscomraiva, republico um comentário sobre os Malufs... ah... tinha que falar, né? Ficou tanta gente contente com a prisão dele... e agora, graças ao magnânimo juiz que ficou com dó, com peninha dele preso ao lado do filho, mandou soltar...como diz o articulista, “nem a jabuticaba explica”!!!
"Devaneio das Togas
No Brasil, país onde o presidente da República é contra a reeleição e vive em campanha reeleitoral, ocorrem coisas que nem a jabuticaba explica. Por exemplo:
No fim de setembro, escreveu-se neste mesmo espaço a seguinte frase: "Paulo Maluf e seu filho Flávio estão presos, mas não por muito tempo". Na quinta-feira passada, os dois foram soltos. Ficaram 41 dias presos. Era óbvio. A previsão não tinha nada de sofisticado. Afinal, ninguém desconhece que cadeia no Brasil é coisa destinada para abrigar pretos e pobres, sendo praticamente vetada para brancos abastados. A realidade, no entanto, conseguiu ser ainda mais vexatória que as previsões tradicionais: Paulo Maluf e seu filho foram libertados porque o ministro Carlos Velloso, do Supremo Tribunal Federal, ficou com pena do ex-prefeito. Não é piada. É verdade. Ao relatar o caso, o ministro Velloso aceitou a tese de que Flávio Maluf foi preso de forma ilegal e, horas depois, resolveu estender sua decisão ao ex-prefeito. A explicação do ministro: "Imagino o sofrimento de um pai preso na mesma cela que um filho. Isso me sensibiliza".
É uma excelente notícia descobrir que um membro da mais alta corte brasileira, em vez de comportar-se como um carrasco implacável, carrega no peito um coração generoso e sensível. Acontece que, por trás da decisão do ministro, referendada pela maioria de seus colegas, não existem só belos sentimentos humanos: o ministro Velloso entendeu que, para beneficiar pai e filho, deveria ignorar uma norma definida pelo próprio Supremo Tribunal Federal há dois anos. A norma diz que o tribunal não analisa pedidos de habeas corpus que tenham sido julgados apenas em caráter liminar pela instância inferior. Era o caso do habeas corpus dos Maluf. Isso significa que, se a norma do STF fosse respeitada, o STF não poderia ter examinado o assunto e, assim, os Maluf permaneceriam presos.
A pergunta óbvia é: em princípio, um ministro não deve ignorar uma norma para beneficiar quem quer que seja, mas alguém já viu um ministro fazer isso para beneficiar réu preto e pobre?
O espanto provocado pelo comportamento do ministro Carlos Velloso talvez só seja menor diante da desenvoltura autoritária do ministro Nelson Jobim, presidente do STF. No dia anterior à libertação dos Maluf, Nelson Jobim comandou a sessão em que se julgou ação proposta pelo ex-ministro José Dirceu. Jobim era abertamente a favor de aceitar a alegação de José Dirceu e mandar o Congresso Nacional suspender seu processo de cassação. Dirceu alegava que não podia perder o mandato de deputado porque na época do mensalão ele era ministro... Jobim era tão a favor da cascata de Dirceu que chegou a cabalar votos nos bastidores e, durante a sessão de julgamento, comportou-se como um coronel em reunião de senzala: intimidou colegas, questionou um, provocou outro, fez muxoxo ao ouvir o que não queria... Um espetáculo. Um show. Mas, por sorte e por sensatez, o STF decidiu que Dirceu pode, sim, ser punido como deputado por aquilo que fez como ministro.
A pergunta óbvia é: Jobim não deveria julgar-se impedido de analisar uma ação proposta por seu amigão José Dirceu? Tem coisas que nem a jabuticaba explica."
O que o pobrezinho fez?
- acusado de lavagem de dinheiro (desviado de obras), evasão de divisas, formação de quadrilha, corrupção, peculato (apropriação de bens por servidor público em razão do cargo) e sonegação fiscal.
- é suspeito de ter enviado para contas em paraísos fiscais cerca de US$ 446 milhões desviados de obras públicas.
- já teve US$ 118 milhões bloqueados na Suíça. O caso do propinoduto, no qual oito fiscais do Rio de Janeiro são acusados de enviar milhões para fora do país, tem US$ 40 milhões bloqueados - também na Suíça.
- tinha uma conta nas ilhas Jersey (Inglaterra), em valor aproximado de US$ 163 milhões.
- documentos fornecidos pelo Citibank de Genebra, registravam, em junho de 1995, um saldo de US$ 345 milhões em uma conta bancária, cujo principal beneficiário era o ex-alcaide paulistano.
Ou seja, quase nada! Apenas fez o que vários outros políticos podres fazem, quando ocupam um cargo de grande poder, especialmente nas grandes cidades (embora nas pequenas a coisa seja tão feia quanto): se aproveitou de projetos grandiosos para desviar dinheiro público (o nosso suado dinheiro, que é comido nos impostos) direto para contas de paraísos fiscais. Um cara desse nível não pode ser digno de pena, ainda mais em se tratando de um país devagar como o Brasil, que já custa a levar pra trás das grades os verdadeiros criminosos (aqueles que, em grande parte das vezes, não são nem pretos, nem pobres, como os que mofam nas cadeias). Quando leva, deixa eles lá por míseros 41 dias, porque um Ministro do Supremo fica com dó e diz que está sendo praticada uma "violência contra dois cidadãos". Violência?! Violência é o que eles cometeram contra toda uma sociedade! Violência é deixá-los em liberdade e manter seu crime impune! Numa dessas, dá vontade de explodir o Ministério, de escancarar pro mundo inteiro como tamos com raiva!

Livros e revistas

1. A Revista Scientific American, volume especial Historia nº 3, traz amplas matérias sobre a Ciência na Antiguidade: o nascimento da escrita, o avançado conhecimento dos egípcios, as descobertas de Hipócrates e Galeno, os pais da medicina, a invenção da Geometria na Grécia, A supremacia de Alexandria nos estudos matemáticos, as revoluções promovidas por Euclides, Apolônio e Arquimedes, entre outras matérias.

2. A editora Nova Alexandria reedita as Cartas Persas, de Montesquieu. Escritas em 1721, revelam o autor divertido e um tanto licencioso de um fundamental tratado filosófico e político. (232 p., R$ 38,00)

3. Imagens e realidade do conflito Israel-Palestina, de Norman G. Finkelstein, importante estudo crítico sobre os conflitos no Oriente Médio, está sendo publicado pela Record (433 p., R$ 49,90)

4. Breve Historia do Mito, de Karen Armstrong, publicação da Cia. Das Letras, 136 p. R$ 29,00 – para a autora, a historia dos mitos se confunde com a própria historia da humanidade, que ela tenta reconstruir neste estudo.

5. Modos de governar, org. por Maria Fernanda Bicalho e Vera Lucia Amaral Ferlini, 448 p., R$60,00 – reunião de ensaios sobre as redes de parentesco, clientela e negócios que marcaram o Império Português do século XVI ao XIX. Traz artigos de Pedro Puntoni, Junia Furtado e Jacqueline Hermann, entre outros.

6. A Editora Contexto tem o prazer de apresentar mais um lançamento na área de história:
Palmares
de Flávio Gomes
O livro chegará no estoque no dia 31/10 e em seguida poderá ser encontrado nas melhores livrarias do país.
Palmares foi a maior e mais conhecida comunidade de negros fugitivos da história das Américas. Formado por vários agrupamentos interdependentes e articulados no Nordeste açucareiro de Pernambuco e Alagoas, Palmares surgiu no final do século XVI e permaneceu atéo século XVIII a representar esperança aos cativos e ameaça aos senhores. Neste livro, o historiador Flávio Gomes narra a história de Palmares, desde os primeiros tempos e a luta constante com as autoridades até a morte de Zumbi e seu fim. O autor desfaz mitos e muda o olhar que até então se tinha sobre o tema. Leitura obrigatória para todos que queiram entender a História do Brasil.
184 p., R$ 31,00

7. Forças do trabalho: movimentos de trabalhadores e globalização desde 1870
Agência Carta Maior
Beverly J. Silver, ao entender os mecanismos da luta dos trabalhadores para serem tratados como seres humanos, e não como meras alavancas para a reprodução do capital, explica a dinâmica da luta cotidiana entre estes dois campos antagônicos.(leia mais)


Sites interessantes

1. www.historianet.com.br

Brasil Colônia
Minas Gerais, século XVIII - Leigos e instituições sem envolvimento com o catolicismo fundaram e desenvolveram uma "religiosidade peculiar", as irmandades. Um espaço que aceitava todos: homens, mulheres, negros e brancos.

Brasil República
No final da década de 70, a inteligentsia local já reconhecia a contribuição de brasilianistas, que nos anos da ditadura foram duramente criticados.

Filmes
o filme faz um retrato do que foi o integralismo e sua importância na vida política brasileira.

http://www.nethistoria.com/ ensaios, resenhas, artigos de História Geral e Brasil

http://www.ribatejo.com/hp/ história de Portugal

www.historianet.com.br/ - site brasileiro com artigos de história geral e do Brasil, vestibulares

http://www.geocities.com/rosapomar/historia_medieval.html apresenta várias páginas de história Medieval

http://www.geocities.com/rosapomar/historia_moderna.html - páginas de autores consagrados sobre a historia moderna

http://www.geocities.com/rosapomar/historia_contemporanea.html páginas com textos e resumos de obras de história contemporânea

www.historiadaarte.com.br/ - site com ampla visão da história da arte

http://www.arqnet.pt/ - site com cronologia e principais fatos da história portuguesa, apresenta também alguns artigos sobre outros períodos da história.

http://www.cliohistoria.hpg.ig.com.br/ - site do prof. Almir Ribeiro. Contém documentos, bibliografia e imagens relativos à História do Brasil, da América e Geral.

http://www.portfolium.com.br/canudos.htm - site sobre Canudos, com textos, mapas e imagens.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial