Boletim Mineiro de História

Boletim atualizado todas as quartas-feiras, objetiva trazer temas para discussão, informar sobre concursos, publicações de livros e revistas. Aceita-se contribuições, desde que versem sobre temas históricos. É um espaço plural, aberto a todas as opiniões desde que não contenham discriminações, racismo ou incitamentos ilegais. Os artigos assinados são de responsabilidade única de seus autores e não refletem o pensamento do autor do Boletim.

11.10.06

Número 060



EDITORIAL

Atendendo a conselhos de bons amigos, vou tentar evitar que o tema das eleições monopolize o Boletim. Afinal, a proposta inicial dele era, e continua a ser, bem mais ampla do que discutir apenas os acontecimentos “no calor da hora”. Vamos retomar, portanto, os demais assuntos.
Mas é claro que não podemos deixar de falar nas eleições. Assim, nos boletins desta semana e das próximas, ao final, teremos um dossiê, onde, quem tiver interesse, terá indicações de artigos e comentários a respeito. Também a correspondência versando sobre a questão eleitoral será colocada neste dossiê.

Outubro de 1956 foi um mês particularmente significativo no bloco soviético. A Polônia e a Hungria ousaram “falar grosso” com os dirigentes da URSS e acabaram sendo pressionadas.
Em outro local, escrevi:
Parece-nos que a experiência da revolta húngara foi a que ousou ir mais longe na contestação do modelo soviético. Às críticas relacionadas com o péssimo desempenho econômico e com as condições “tayloristas” de trabalho – que também se verificavam na Polônia e na Tcheco-Eslováquia -, os húngaros deram mais um passo, que foi a contestação do totalitarismo político. E nisso desempenharam um papel extraordinário os Conselhos criados em todo o País e que constituem a mais significativa contribuição fornecida por um país “socialista” à discussão da questão democrática. No entanto, se os russos haviam conseguido criar uma república soviética sem sovietes, não poderiam, efetivamente, concordar com a criação e atuação desses Conselhos.
Provavelmente os Conselhos demonstrariam a possibilidade da democracia socialista, exemplo que correria a Europa oriental e até mesmo a URSS. Eram o mais claro desafio e a maior ameaça ao predomínio da burocracia de partido único.

No cinqüentenário da revolta húngara, o jornal Le Monde Diplomatique publicou alguns artigos, que recomendo na seção Internacional. Vale a pena ler.


FALAM AMIGOS E AMIGAS

1. Andréa Valadares envia duas colaborações. A primeira diz respeito à controvertida afirmação do papa Bento XVI e a segunda a uma notícia que saiu na Folha de São Paulo.

O mau exemplo do Papa

Leonardo Boff

A atitude do Papa Bento XVI está provocando justificadas iras entre as comunidades islâmicas por causa da infeliz citação de um imperador bizantino do século XIV, segundo o qual "Maomé defendia coisas más e desumanas, como sua ordem de difundir a fé pela espada". Mas também causou escândalo e vergonha para os cristãos. A citação é totalmente inoportuna. Sabe muito bem o Papa do enfrentamento ora existente entre o Islã e o Ocidente, que faz guerra ao Afeganistão e ao Iraque e que abertamente apóia a causa israelense contra os palestinos, de maioria islâmica. Nesse contexto, a citação alinha o Papa às estratégias bélicas do Ocidente. Como não se irritar contra esta atitude? Para nós, cristãos, a atitude do Papa nos deixa perplexos, porque é da essência da fé cristã perdoar e rezar como o pobrezinho de Assis: "onde há ofensa que eu leve o perdão". Não querendo perdoar, o Papa legitima todos aqueles que não querem pedir perdão nem na vida cotidiana, nem aos negros que escravizamos por séculos, nem aos sobreviventes dos indígenas que dizimamos. Se o Papa não faz oficialmente um ato de desculpa, nos dá um mau exemplo. Não cumpre o mandato do Senhor de "confirmar os irmãos e as irmãs na fé".

Mas este seu gesto não é isolado. Como Cardeal, opôs-se à entrada da Turquia na Comunidade Européia pelo simples fato de ela ser majoritariamente muçulmana. Há pouco tempo, suprimiu no Vaticano a instância que promovia o diálogo Cristianismo-Islamismo. No documento Dominus Jesus de sua autoria de 15 de setembro de 2000, um dos textos mais fundamentalistas dos últimos séculos, afirma que "a única religião verdadeira é a Igreja Romana Católica" e que "os seguidores de outras religiões objetivamente se encontram, com referência à salvação, numa situação gravemente deficitária". Não fazem sentido encontros com outras religiões porque "é contrário à fé católica considerar a Igreja como uma via de salvação ao lado de outras". Neste transfundo, não causa estranheza seu discurso na Universidade de Ratisbona. Mesmo assim, não seria mais digno ao Papa pedir claramente perdão pelas incompreensões que provocou mesmo involuntariamente? Por que não o faz?

Para entendê-lo, precisa-se compreender a ideologia infalibilista que vigora no Vaticano e em geral na Igreja. Segundo ela, o Papa não pode errar, embora o dogma da infalibilidade seja muito restrito. Afirma que o Papa é somente infalível em situações bem delimitadas, gozando então, pessoalmente, daquela infalibilidade que é de toda a Igreja. Mas a ideologia infalibilista atribui de forma ilegítima infalibilidade a todas as palavras do Papa. Se ele pedir perdão, confessa que errou, o que não é permitido pelo infalibilismo.

Funciona na cabeça do Papa Bento XVI o despotismo papal formulado ainda em 1302 por Bonifácio VIII, que rezava: "para cada criatura humana, é absolutamente necessário para sua salvação estar submetida ao Papa em Roma". Isso não foi abolido sequer pelo Concílio Vaticano II em 1964. Foi introduzida nos textos uma "Nota explicativa prévia", onde se reafirma que o Papa pode sempre agir "segundo seu parecer pessoal", como nomear bispos, estabelecer normas e estabelecer políticas eclesiásticas. Em outras palavras: um Papa pode autonomamente decidir tudo; um bilhão de católicos juntos não pode decidir nada. Esse absolutismo nos faz entender as razões do Papa em não pedir perdão.

(Publicado originalmente em www.adital.com.br )
Leonardo Boff é teólogo e membro da Comissão da Carta da Terra.

São Paulo, terça-feira, 03 de outubro de 2006

FOLHA CIÊNCIAS

Governo inglês divulga plano para privatizar a Amazônia - DA REDAÇÃO
O governo inglês, por meio de David Miliband, secretário de Meio Ambiente britânico, divulgou na semana passada no México um plano para transformar a floresta amazônica em uma grande área privada. O anúncio foi feito em um encontro realizado na cidade de Monterrey, segundo informou o jornal "Daily Telegraph". O evento reuniu os governos dos 20 países mais poluidores do mundo.
A proposta inglesa, que conta com o aval do primeiro-ministro Tony Blair, visa a proteger a floresta, segundo Miliband. O próprio político admitiu que a idéia está em seu estágio inicial e que será preciso discutir as questões de soberania da região com o Brasil. O plano prevê que uma grande área da Amazônia passaria a ser administrada por um consórcio internacional. Grupos ou mesmo pessoas físicas poderiam então comprar árvores da floresta.

BRASIL

Bernardo Kucinski

Homenagem a Fernando Gasparian (clique na síntese para ler a notícia)

Com a morte de Gasparian, fundador do jornal Opinião, está extinta a geração de empresários nacionalistas que foi combatida pela Ditadura Militar. Eram homens preocupados com um projeto nacional de desenvolvimento, que Gasparian simbolizava e em nome dos quais atuava na cena política. - 09/10/2006

INTERNACIONAL

1. No site do Le Monde Diplomatique, alguns artigos ajudam o entendimento do fenômeno da globalização e de suas implicações:

À beira do colapso?

Como o sistema financeiro internacional está sendo dominado por fundos gigantescos e sem controle, que desafiam Estados e grandes bancos e realizam operações de altíssimo risco. Por que o próprio FMI teme um desastre?
Leia em: http://diplo.uol.com.br/2006-10,a1423

2. Em 1956 ocorreu a revolta da Hungria contra o controle soviético. Mais que depressa, os dirigentes soviéticos vieram a público para legitimar sua intervenção sanguinária, argumentando que nada mais faziam do que proteger os “irmãos” das garras do imperialismo norte-americano. 50 anos depois, pode-se fazer análises diferentes, conforme nos mostra um dossiê do Le Monde:

a) http://diplo.uol.com.br/2006-10,a1421
O século 20 foi decidido aqui

Há cinqüenta anos, a União Soviética perdia, ao invadir a Hungria, a grande oportunidade de uma desestalinização controlada. Enquanto isso, os Estados Unidos abandonavam Inglaterra e Reino Unido no Egito, e aspiravam a se tornar os reguladores da ordem mundialRoger Martelli

b) http://diplo.uol.com.br/2006-10,a1419
Cronologia 1956

Em nove meses, uma sucessão de fatos que teria grande influência sobre as décadas seguintes

c) http://diplo.uol.com.br/2006-10,a1418
Um olhar radical sobre a revolução

Heterodoxa e provocadora, “Socialismo ou Barbárie”, a revista de Castoriadis e Lefort, contesta a visão capitalista sobre o levante húngaro, e enxerga nos Conselhos a possibilidade de um socialismo que vai muito além da estatização das fábricasThomas Feixa

3. Coréia Nuclear: um tsunami estratégico

A reaproximação da Coréia do Norte com o mundo havia começado com Clinton em 1995, que aproveitou a crise econômica do país para ‘domesticar’ o regime. Tudo caminhava bem até Bush vencer as eleições e cunhar o termo ‘eixo do mal’. > LEIA MAIS Internacional 09/10/2006

NUESTRA AMERICA

1. EUA vs. FIDEL

Jornalistas pagos para escrever contra Cuba são demitidos
Por Claudio Julio Tognolli em 4/10/2006
Reproduzido do Consultor Jurídico, 3/10/2006
Jesus Diaz Jr, publisher do jornal americano The Miami Herald, deixou seu cargo na terça-feira (3/9), como conseqüência da recente revelação de que jornalistas da publicação em espanhol daquele matutino, o El Nuevo Herald, eram pagos pelo governo dos EUA para atacar o governo de Cuba. Diaz também se demitiu do cargo de presidente da empresa Miami Herald Media Co. Em carta aos leitores, o editor disse que a empresa que publica os jornais deveria recontratar os jornalistas demitidos. O cargo será assumido por David Landsberg, que vinha ocupando o cargo de gerente-geral, informou a The McClatchy Company, empresa do conglomerado e que tem base em Sacramento, Califórnia.
Uma reportagem publicada em 8 de setembro passado, na edição online do jornal, afirmava que o governo americano pagou milhares de dólares durante vários anos a pelo menos dez jornalistas de Miami para que veiculassem histórias negativas sobre Cuba e seu líder, Fidel Castro. Esses jornalistas, segundo The Miami Herald, recebiam pagamentos regulares do governo dos Estados Unidos para produzir programas na rádio e na TV Martí.
As duas emissoras, administradas pelo governo americano, transmitem notícias e programas em espanhol para Cuba e, conforme a reportagem, têm o objetivo de "minar o governo comunista de Fidel Castro e promover a democracia e a liberdade em Cuba."

"Sagrada confiança"

Segundo o The Miami Herald, os três jornalistas que recebiam as somas mais altas trabalhavam para o El Nuevo Herald, jornal de língua espanhola publicado pela mesma empresa. Um deles, Pablo Alfonso, que tem uma coluna de opinião no El Nuevo Herald, recebeu US$ 175 mil para apresentar programas nas duas emissoras. O repórter Wilfredo Cancio Isla recebeu US$ 15 mil, e a freelancer Olga Connor, US$ 71 mil. Os três foram demitidos e não comentaram o assunto.
Na época, Jesus Diaz Jr. acusou os jornalistas envolvidos de violarem a "sagrada confiança" do público. Um porta-voz das emissoras administradas pelo governo dos EUA, Joe O’Connell negou qualquer irregularidade e afirmou que os jornalistas simplesmente foram pagos por suas contribuições e seu conhecimento a respeito da política cubana.

2. DA AMÉRICA PARA AS AMÉRICAS

Rumo ao México, deixando as terras do tio Sam

O primeiro trecho da expedição durou 6 dias, com passagens por Washington, New Orleans e San Antonio. Na capital do país, o registro de protestos na Casa Branca. Na terra do jazz, o descaso do governo Bush depois de um dos maiores desastres naturais da história. No Texas, a visita ao símbolo da conquista de território mexicano pelos estadunidenses. > LEIA MAIS 06/10/2006

• Reportagem: Bush assina lei para construção do muro na fronteira com o México

• Reportagem: México opõe-se ao muro na fronteira com os EUA

• Reportagem: Projeto de lei nos EUA criminaliza quem ajuda ilegais

• O comentário de Emir Sader: Os órfãos da globalização na fronteira dos EUA com o México

• Especial Latinautas: veja íntegra dos relatos e comentários


NOTICIAS

1. Fórum de Debates Povos e Culturas das Américas/UFES - UERJ

O Programa de pós-graduação em Historia da UFES e o Núcleo de Estudos das Américas da UERJ promoverão nos meses de outubro e novembro o Fórum de Debates Povos e Culturas das Américas. Integrando as atividades do "Programa/Red Internacional America Latina en dialogo intercultural en el contexto interamericano y europeo" (ALDI), o evento pretende se constituir como um espaço permanente de reflexão sobre a complexidade das questões interculturais diante da nova ordem social e cultural que se instalou nas Américas. O Fórum será realizado em duas etapas. A primeira ocorrera' nos dias 17 e 18/10/2006, nas dependências da UFES, em Vitória. A segunda, entre os dias 7 e 10/11/2006, no Rio de Janeiro, Campus da UERJ. Mais informações pelo e-mail: npih@npd.ufes.br.

2. Seleção de Mestrado em Historia Social/UEL

A Universidade Estadual de Londrina (UEL), abrira' inscrições para o Programa de Mestrado em Historia Social, a ser iniciado em marco de 2007. As inscrições para o Processo Seletivo deverão ser realizadas entre 16/10/2006 e 10/11/2006. Mais informações em www.uel.br/cch/his

3. Iº Seminário Nacional de Historia da Universidade Federal de Viçosa

O Iº Seminário Nacional de Historia da Universidade Federal de Viçosa será realizado entre 28/11 e 1/12/2006. Com o tema: "O Laboratório do Historiador: olhares sobre cultura, memória e sociedade". O prazo para o envio dos resumos das comunicações e' ate' 16/10/2006. Mais informações em seminariohistoria.reator2.com.br ou pelo e-mail: simposiohistoria@ufv.br.

4. IIº Encontro Pernambucano dos Estudantes de Historia/UFRPE

O IIº Encontro Pernambucano dos Estudantes de Historia (EPEH), será realizado na universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), entre os dias 12 e 15/10/2006. O objetivo do encontro e' garantir a interação entre as Faculdades de Historia da capital e as do interior, promovendo o intercambio de idéias e conhecimentos entre os estudantes da capital e do interior. O EPEH tem como tema a formação política e profissional do historiador; ao mesmo tempo, institui-se um espaço para a exposição e o debate de estudos, pesquisas e trabalhos que foram e/ou estão sendo realizados por estudantes, professores e pesquisadores da área do conhecimento histórico. Mais informações em www.epeh2006.com.br

5. Seminário Migrações: Desafios para o século XXI/SP

O Memorial do Imigrante em São Paulo realizara', entre os dias 17 e 20/10/2006, o Seminário Migrações: Desafios para o século XXI. O evento pretende abordar a diversidade e a complexidade de questões que envolvem a problemática das migrações internacionais na atualidade no Brasil e em outras regiões do planeta; refletir sobre as ações e estratégias de organizações governamentais e não governamentais frente a essa questão; dialogar com a produção acadêmica e com os sujeitos desses deslocamentos como forma de (re)conhecer suas motivações, problemas e estratégias de inserção em São Paulo; reunir pesquisadores e demais pessoas interessadas ou envolvidas diretamente com a questão como forma de propor um dialogo e troca de experiências. A programação e a ficha de inscrição podem ser encontradas em www.memorialdoimigrante.sp.gov.br

6. Seminário “Área Central: um olhar a partir do patrimônio”

Será realizado em Belo Horizonte, na Casa do Baile (Pampulha), nos dias 24, 25 e 26 de outubro, das 9 às 19 horas. Haverá mesas redondas na parte da manhã e apresentação de trabalhos à tarde.
Informações pelo email casabaile@gmail.com ou pelos telefones (31)3277-7443 e 3227-7971

7. O Instituto Cultural Amilcar Martins convida para o seminário do professor Cristiano Corte Restitutti sobre sua tese de Mestrado " Nas Fronteiras da PROVÍNCIA: O COMÉRCIO INTERPROVINCIAL DE MINAS GERAIS, 1839/84 (Dinâmicas Regionais e Estrutura Mercantil).

Dia 16 de outubro às 15 horas.
Auditório do ICAM Av. Afonso Pena, 867, 19º andar – Edf. Acaiaca Belo Horizonte

8. CONVITE da CARLOS AFRO & CIA
Festa do Rosário de Sabará/MG (08 a 15 de outubro de 2006):

Apresentação do espetáculo “FRAGMENTOS AFROS DA DANÇA BRASILEIRA " na Praça Melo Viana – Centro Histórico de Sabará. Dia 13/10 as 21:00h.

9. MEC libera R$ 1 milhão para pesquisa em educação profissional

Terça, 10 de outubro de 2006, 13h16 (publicado no portal do Terra)

O Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Educação Profissional Integrada à Educação de Jovens e Adultos (Proeja) vai liberar R$ 1 milhão para grupos de estudo que tenham interesse em estudos relacionados à educação profissional integrada ao ensino de jovens e adultos.
O projeto, realizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, tem como objetivo aumentar a produção científica e a criação de cursos na área.
Serão selecionados e apoiados até dez iniciativas. O valor total de recursos destinado a cada projeto é de R$ 100 mil por ano. As propostas deverão conter temas relacionados à educação profissional de jovens e adultos, como o aumento da escolaridade, a inclusão no mundo do trabalho, a capacitação, entre outros. Cada um poderá ter de quatro a cinco anos de duração. Caso haja disponibilidade de recursos financeiros, o Programa poderá contemplar um maior número de projetos.
O edital está disponível na página eletrônica da Capes (http://www.capes.gov.br/). Mais informações sobre o Programa podem ser obtidas nos telefones (61) 2104-8893/2104-9511 ou no e-mail dcpc@capes.gov.br


10. O Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais do CPDOC da Fundação Getulio Vargas estará recebendo, de 15 a 22 de outubro, o professor Bernard Pudal. Bernard Pudal é professor de Ciência Política na Universidade de Paris-X Nanterre e pesquisador do laboratório de Culturas e sociedades urbanas do CNRS. O professor Pudal tem uma extensa obra, sendo particularmente conhecido por seus trabalhos de história e sociologia do Comunismo. Ele fará duas palestras na FGV:
a) "Le biographique en sciences sociales", dia 17 de outubro, às 15:00 h.;
b) "Les archives du communisme et l'évolution des recherches sur le communisme", dia 18 de outubro, às 15:00 h.
Local: Praia de Botafogo, 190 – 10º andar – Auditório Eugênio Gudin
As palestras serão em francês. A entrada é franca, não sendo necessária inscrição

11. Temporada de Ópera - La Serva e L'Ussero

La Serva e L'Ussero, de Luigi Ricci.13 e 14 de outubro, sexta-feira e sábado, às 20h30, e 15 de outubro, domingo, às 19h. Grande Teatro.A Temporada de Ópera integra a programação especial de 35 anos do Palácio das Artes. Para conhecer as atrações especiais, clique aqui.

12. O Último Vôo do Flamingo

Peça teatral aborda a poesia da vida cotidiana, o universo mágico do homem africano, suas esperanças e contradições. 12 a 15, 19 a 22, 26 a 29 de outubro e 03 a 05 de novembro, quinta a sábado, às 21h, domingo, às 20h.Teatro João Ceschiatti.

13. Exposição Oscar Niemeyer - O Poeta da Arquitetura

Exposição apresenta manuscritos e série de 20 croquis de Niemeyer. Até 15 de outubro. Terça-feira a sábado, 9h às 20h30, e domingo, 16h às 20h30. Galeria Arlinda Corrêa Lima.Entrada Franca.

LIVROS E REVISTAS

1. Nas bancas o numero 36 da revista Historia Viva. Dossiê sobre Gandhi – o pacifismo como arma da independência da Índia – e artigos sobre Marco Antônio e Cleópatra - O papa que deu à luz em plena procissão – Gutemberg, bom inventor, mau negociante – Rabelais: idéias na arte de governar – O Libano dividido pela fé – A primeira greve geral brasileira.

2. Resenha

"Bush na Babilônia" (clique no resumo para ler a resenha)

Obra de Tariq Ali oferece fatos históricos e opiniões que devem ser conhecidos e ponderados por cada leitor na interpretação do imperialismo e da resistência. - 09/10/2006o

3. A professora Mônica Liz recomenda:
A editora é a da UFMG e será vendido em boas livrarias, mas especialmente nas da Universidade. Não se trata de um livro de historia, mas de experiências de aulas e pesquisas com educação em saúde, mas de qualquer maneira segue a referencia:
Gazzinelli, Maria Flavia; Marques, Rita de Cássia; Reis, Dener Carlos. Educação em saúde: teoria, metodo e imaginação. Belo Horizonte: UFMG, 2006."


4. Revista Cult nº 107 nas bancas

Entrevista exclusiva: Rita Lee - Rita fala sobre o casamento de 30 anos com Roberto de Carvalho, da experiência de ser avó, dos 40 anos de carreira e arremata: "sou como o Mickey Mouse, passo de geração em geração".
Leia trecho >>>

Dossiê A profunda sabedoria e beleza dos mitos gregos. Elaborado por um grupo de reconhecidos estudiosos do assunto, o dossiê aborda a mitologia grega no contexto da cultura helênica e oferece ao leitor um tema para reflexão.
Leia trecho >>>
Mês das Crianças A literatura infantil sob o ponto de vista do mercado editorial e as interfaces entre a arte genuína e o conteúdo dedicado a esse exigente público.

Cinema Uma matéria especial sobre os 30 anos da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo
Leia trecho >>>

SITES INTERESSANTES

A Editora Contexto colocou seu novo site no ar. Agora, além da indicação dos livros publicados, pode-se fazer comentários sobre os mesmos, há textos escritos pelos autores que podem ser discutidos. Há uma interatividade bem maior. Não deixe de visitar:
www.editoracontexto.com.br

INFORME 20/2006 DA ANPUH

1. EVENTOS
(a) VI Encontro Estadual de História "História, Sociedade e Cultura", de 01 a 04/11/2006, na UFRPE. A Associação Nacional de História - ANPUH, através de seu Núcleo Regional em Pernambuco, convida os professores, pesquisadores e estudantes vinculados à sua área de conhecimento a participarem do VI Encontro Estadual de História, cuja temática será História, Sociedade e Cultura. Este evento visa oportunizar a integração dos estudantes ao seu futuro ambiente profissional bem como o intercâmbio e a educação continuada dos profissionais da área, utilizando como elemento catalisador a relação entre a história, a sociedade e a cultura. As atividades a serem desenvolvidas no evento serão organizadas em conferências, simpósios temáticos, mini-cursos, fóruns e exposições. Na ocasião do encontro se realizarão as eleições da diretoria da associação para o biênio 2006-2008. As inscrições de chapas deverão acontecer até o dia 15 de outubro, na secretaria do evento, em conformidade com o estatuto da ANPUH, sob a responsabilidade da comissão eleitoral. Mais incormações: http://anpuhpe.ubbihp.com.br/anpuhpe/anpuh/inside.htm ou anpuhpe@oi.com.br.

(b) UESB promove Ciclo de Palestras sobre Trabalho, Cultura e Poder na Antiguidade e no Medievo. A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) promove, no período de 30 de outubro a 01 de novembro de 2006, em Vitória da Conquista-Ba, Ciclo de Palestras sobre Trabalho, Cultura e Poder na Antiguidade e no Medievo. A atividade, que integra o II Ciclo de Atividades do Projeto HISTÓRIA EM DEBATE, desenvolvido pelo Departamento de História da Uesb, terá como conferencistas os Professores Norberto Guarinello (USP), Ruy de Oliveira Andrade (Unesp-Assis) e Fábio Joly (UFRB), entre outros. Além do Ciclo de Palestras, complementam aprogramação do evento Sessões de Comunicações Coordenadas em História Cultural. As inscrições de trabalhos (comunicações orais e painéis de iniciação científica) podem ser feitas até o dia 16 de outubro. Mais informações e fichas de inscrição podem ser obtidas no site da Uesb (www.uesb.br) ou pelo e-mail dh@uesb.br.

(c) I Semana Alternativa do Centro Acadêmico de História "A indiferença é o peso morto da História" - Reflexões sobre a atuação política no Brasil, a ser realizada de 23 a 27/10/2006 nas dependências do campus. A partir de apresentações culturais, conferências, mini-cursos, filmes, exposição e debates, buscaremos fomentar o interesse da comunidade em relação à importância das relações políticas não só em estudos acadêmicos, mas também nas relações sociais. Para programação e outras informações informações: http://semanacah.cjb.net

d) O PPG História da UFRGS promove, no dia 27/11, às 14h, a conferência "Senhoras e escravos: um estudo sobre gênero e família na São Paulo do Café", da Profa. Dra. Eni de Mesquita Samara. Local: Pantheon do IFCH, Campus do Vale, em Porto Alegre.

(e) O Programa de Pós-graduação em História Social (PPGHIS) da UFRJ promoverá, entre os dias 21 e 23/11 , o "Seminário Internacional Ditadura e Democracia na América Latina". Serão conferidos certificados aos inscritos que comparecerem a pelo menos metade das atividades. A inscrição custa R$ 10,00 e pode ser feita na Secretaria do PPGHIS, entre 8 e 17h, no Largo de São Francisco de Paula, n. 1, segundo andar, Centro, Rio de Janeiro. Vagas limitadas. Para programação completa, clique aqui.

(g) Os organizadores do VI Seminário Nacional Perspectivas do Ensino de História, encontro destinado a reunir pesquisadores do ensino de História e professores, informam que já começaram os preparativos para sua realização. O evento será realizado em Natal/RN de 10 a 13 de outubro de 2007 na Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. O site do evento – com programação provisória e calendário de inscrições e apresentação de propostas de Mini-cursos - deverá entrar no ar até o final deste mês. Como vem se realizando desde 1988, na programação haverá Conferências, Grupos de Trabalho, Mini-cursos e reuniões administrativas. Qualquer dúvida e/ou cadastro para receber atualizações sobre o Perspectivas, entrar em contato pelo e-mailperspectivasensinohistoria@gmail.com

2. CURSO

Estão abertas, desde o dia 04/10, as inscrições para o curso de extensão "Patrimônio Histórico Cultural: Multidisciplinaridade e Educação Patrimonial", no Centro de Letras e Ciências Humanas da UEL. O curso é uma promoção do Centro de Documentação e Pesquisa Histórica da UEL www.uel.br/cch/cdph, com apoio do Sindicato dos Professores das Escolas Particulares de Londrina e Norte do Paraná - SINPRO.

A programação é a seguinte: 21/10 - Memória, História e Patrimônio; 28/10 - Aspectos Contextuais e Ideológicos dos Conceitos de História e Patrimônio; 04/11 - Aspectos Contextuais e Legais dos Conceitos de História e Patrimônio; 11/11 - Patrimônio Natural como Possibilidade de Análise; 18/11 - Patrimônio Histórico Local: O Caso de Londrina; 25/11 - Patrimônio Histórico Local: Trilha Interpretativa; 02/12 - Educação Patrimonial: Questões Teóricas e Práticas; 09/12 - Análise do Filme: Os Narradores de Javé.

Outras informações (comissão organizadora e ministrantes) e inscrições: CDPH - Térreo do IRCH - Instituto de Referência em Ciências Humanas - Campus Universitário - UEL Tel: (43) 3371-4568, das 8hs às 22hs e SINPRO - Rua Delaine Negro, 75. CEP 86055-680. Jardim Alto da Colina. Londrina (PR), tel:(43) 3328 0080 e 3338 9682, das 8hs às 18hs. Valor:R$ 40,00:

3. CONCURSO

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Campus de Guarulhos, abre dois concursos para docentes, com título de doutor, nas seguintes áreas: História Moderna e História da África. Inscrições abertas até 10/10/2006, às 16:00hs. Mais informações no site da UNIFESP: www.unifesp.br

4. DEFESA DE TESE

Foi defendida em 05/10, na FFLCH-USP, a tese de doutorado intitulada “O Instituto Cubano del Arte e Industria Cinematográficos (ICAIC) e a política cultural em Cuba (1959-1991)” de Mariana Martins Villaça. Maria Helena Capelato foi a orientadora.

5. SELEÇÃO DE MESTRADO/DOUTORADO
(a) O Programa de Pós-Graduação em História - UNESP-Franca divulga processo de seleção 2006-07 (Mestrado e Doutorado). Informações no endereço www.franca.unesp.br.

(b) O Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal da Paraíba (campus de João Pessoa) divulga o processo seletivo para seu Mestrado Acadêmico. O edital está disponível no seguinte endereço eletrônico: http://cchla.ufpb.br/ppgh/. As inscrições vão de 6 a 20 de novembro. Informações: (83) 3216-7915 (das 8hs às 12hs) ou pelo e-mail ppgh@cchla.ufpb.br

6. CHAMADA PARA A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS

(a) Chamada para entrega de artigos para o vol. 8 da Revista de Mestrado em História da Universidade Severino Sombra. A Revista está aberta a contribuições sob forma de artigos, resenhas ou textos traduzidos. Os textos, de no máximo 20 laudas, deverão ser encaminhados até 30 de outubro para os seguintes endereços eletrônicos: cpmh@uss.br ou miridanbritto@terra.com.br

Chamada para entrega de artigos para a Revista Eletrônica Caminhos da História, uma produção do corpo discente do Programa de Mestrado em História da USS. Os textos, sob forma de artigos ou resenhas, deverão ser encaminhados até o dia 30 de outubro para o seguinte endereço eletônico: escheidt@ig.com.br

(b) SAECULUM - Revista de História (ISSN 0104-8929) está recebendo artigos para o próximo dossiê, cujo tema central será "Ensino de História e Saberes Históricos". Os artigos deverão ser encaminhados até o dia 30/11/06, respeitando as normas editoriais da revista. Para mais informações sobre o periódico do Departamento de História e Programa de Pós-Graduação em História da UFPB, acesse http://www.cchla.ufpb.br/ppgh/

7. LANÇAMENTO DE LIVROS

(a) Foi lançado o livro "Jango e o golpe de 1964 na caricatura" (Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006) de Rodrigo Patto Sá Motta. (b) Foi lançado o livro "Patrimônio Histórico e Cultural" (Rio de Janeiro: Zahar Edotores, 2006), de Pedro Paulo Funari e Sandra C. A. Pelegrini

8. OUTROS

Está no ar a coluna semanal do Departamento de Patrimônio Histórico, "Ladeira da Memória", da prefeitura de São Paulo. A idéia da coluna é toda semana abordar um lugar ou fato importante da história da cidade. Para acessar a "Ladeira...", basta entrar no site do DPH e clicar no link "Ladeira da Memória". Endereço do site: http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/cultura/patrimonio_historico
Visite nosso Site : www.anpuh.org

DOSSIÊ ELEIÇÕES 2006

1. Lendo os blogs amigos, deparei-me com um artigo do respeitado e conhecido intelectual brasileiro Renato Janine Ribeiro, intitulado A democracia é maior do que qualquer um de nós. Tomo a liberdade de recomendar a sua leitura, no blog de minha cara colega Maria da Conceição Oliveira: http://mariafro.blogspot.com/

2. Caros amigos,
aproveito o espírito político e democrático do Boletim Mineiro de História e aqui expresso o meu voto em primeiro e segundo turnos para o ex-governador Geraldo Alckmin, do PSDB.

Estou convicto de que esta é a melhor escolha para o Brasil, e que as privatizações são necessárias, visto o verdadeiro "elefante branco" que é este Estado brasileiro, que ninguém sabe o por quê de tantos ministérios (36) - favorecendo a corrupção e a ineficiência. Hoje cuidar do Estado é como administrar uma empresa, e nisto o governo, ou melhor, o PT, mostrou-se ineficaz (vide crescimento econômico).

Pelo fim do assistencialismo, clientelismo, partidarismo de Estado e das relações internacionais (vide a posição de Lula com a Bolívia) voto em Alckmin para Presidente do Brasil.

Me perdoem os colegas historiadores, a maioria petistas essencialmente, mas o sonho acabou, o PT é isso que estamos vendo e o caminho é este: mudança de comando. Abraços a todos, e sejamos brasileiros, não petistas.

Abraços liberais, Tiago Menta.

Tiago, a proposta deste boletim é ser exatamente um ponto de discussão de idéias e opiniões. Por isso, mesmo não concordando absolutamente com o que você disse, publico seu email, assim como publicarei o de qualquer outro(a) leitor(a) que queira se manifestar, a favor ou contra qualquer um dos dois candidatos.
A propósito: não sou petista. Apenas estou dando o meu voto para o candidato que considero o melhor entre os dois que ficaram para o segundo turno.

Não sei bem a razão...mas esta capa da Veja, de alguns anos atrás, me pareceu tãããããooooo interessante!!!!! Por que será????

3. CANSEI... VOU VOTAR NO "TUCANO"

Cansei de ir ao supermercado cheio de gente fazendo compras porque os alimentos estão baratos, porque o salário aumentou, porque o poder aquisitivo aumentou, porque tanta gente está empregada.Cansei dos shoppings com gente se espremendo, agora todo mundo pode comprar e se divertir.
Cansei das ofertas de crédito bancário, de cartão de crédito, de empréstimo consignado com juros baratos para todo mundo - isso antes era privilégio,agora perdeu a graça.Cansei desse governo que distribui dinheiro dos impostos para milhões de famílias sem renda, só para combater a fome e reduzir a miséria-esse dinheiro poderia ser usado para ajudar os empresários endividados.
Cansei do PROUNI, que colocou na universidade jovens da classe pobre, misturando-os com os filhos das pessoas ricas.
Cansei desse programa Luz para Todos: gente que nunca teve nada agora pode ver TV, usar ferro elétrico, geladeira, abrir um negócio.Cansei desse governo que criou milhões de empregos, está acabando com a informalidade e prejudicando os empresários, que têm de arcar com tributos trabalhistas. Cansei desse governo que desvalorizou meus dólares sem sustos, sem inflação, sem pacotes econômicos.
Cansei, vou votar no Alckmin porque quero de volta as emoções fortes do governo de FHC, quero investir no dólar em disparada e aproveitar a inflação. Cansei dessa baboseira politicamente correta, quero pagar salários menores,não registrar os funcionários em carteira,quero que os supermercados e os shoppings fiquem mais vazios.Cansei, vou votar no Alckmin porque ele diz que vai "flexibilizar" as leis trabalhistas, e assim não vou precisar pagar 13º, FGTS e nem dar férias. Tenho muita fé no que Alckmin diz: se esses benefícios são de Lei, com Alckmin a gente sempre vai poder dar um "jeitinho",e com menos empregos o trabalhador vai ter de aceitar qualquer coisa, vai se pôr no seu lugar.
Cansei de ver a PF trabalhando livremente. Cansei de ver um Governo ser investigado, prefiro como antes as CPIs abafadas e nós sem sabermos de nada..
Pense bem antes de votar!
Luciana Alves

4. ENTREVISTAMICHEL LÖWY"

Lula foi uma grande decepção; Alckmin é muito pior"

Sociólogo brasileiro, radicado na França, vê continuísmo das políticas neoliberais no governo do PT. Mas avalia que a alternativa do PSDB consegue ser mais nefasta para a América Latina e para os movimentos sociais. > LEIA MAIS Política 05/10/2006

5. Do Correio Caros Amigos
A Isca
Por Sérgio de Souza
Os primeiros a morder foram os beldroegas que correram afanosos disputar um dossiê posto a leilão por dois malandrões mais do que manjados - um ainda está em cana, o outro livre por ter-se disposto à alcagüetagem, prática institucionalizada desde a criação da delação premiada, essa excrescência jurídica que ajuda a rebaixar ainda mais a moral tanto dos que violam as leis quanto dos que as defendem por dever de oficio.

Dois malandrões do mesmo sangue, pai e filho, célebres pela projeção que lhes deu a atuação no lucrativo comércio de ambulâncias. Jogaram a isca e meia dúzia de petistas tão otários como inescrupulosos – liderados por um presidente de partido que sempre cultivou o exercício doentio da fofoca e que transpira obtusidade quando se manifesta verbalmente – a morderam com gosto, provocando de tucanos de rapina, dos quais suspeita-se tenham participado da preparação de tão atraente isca, um mergulho em esquadrilha, ensaiadamente histérico, sobre a candidatura à presidência da Republica que não admitem seja vitoriosa.

Aqueles otários, seu orientador e outros babões que não resistiram ao melado do poder e se lambuzaram vergonhosamente, revelando primarismo político, são dignos daquilo a que estão sujeitos – a lei e o limbo.

Já o povo dançou. Uma parte pequena, porém suficiente para definir os números em 1 de outubro, também mordeu a isca. Mas quem a aproveitou mesmo, transformando-a em um banquete, foram os patrões do jornalismo e seus contratados de confiança. Estão transbordantes de alegria, enquanto se preparam para a segunda rodada, que, pelo visto, tende à carnificina.

Parciais inconfessos, arrotando uma independência engana-trouxa, os jornalões e as semanais ricas selecionaram ardilosamente os assuntos que mais dividendos trariam aos candidatos conservadores e mais prejuízos levariam aos candidatos chamados populares. E aí entra “o dossiê”, a gota d’água que guindou, do ambiente derrotado dos tucanos para a segunda rodada das eleições, o representante das classes bacanas.

Qual jornalão, ou qual semanal, ou estação de televisão, ou de rádio, estará investigando a origem desse “documento”? E ele existe mesmo? Então pai e filho, malandrões, algemados ou não, às voltas com sanguessugas e ambulâncias, ainda arrumaram um tempinho para produzir um dossiê de supostas 2000 páginas que ninguém ficou sabendo ainda o que revelariam? Só os dois, os dois sozinhos? E, sozinhos, oferecem o “comprometedor” calhamaço em leilão para a impoluta imprensa pátria?

E a Policia Federal flagra os otários petistas com o dinheiro pronto para comprar o “bilhete premiado”, assim, tão fácil? Um passarinho me contou? Será? Ou terá sido uma ave de porte maior?E a grana, o milhão e 700, veio dos cofres de quem? Os otários terão que responder, afinal, é “uma dinheirama”, disseram “analistas” políticos da tevê maior e gente como esse senador que se enrascou, não faz tanto tempo, numa encrenca de bilhões envolvendo as santas contas CC-E durante a batalha da segunda rodada, nossos ínclitos meios de comunicação conseguirão saber (e transmitir) se pai e filho estavam ligados ao “serviço de inteligência” tucano? Parece que não. Nem os meios de comunicação, nem o “serviço de inteligência” petista, devidamente nocauteado na primeira rodada. E o procurador, esse, a quem serve? Quando derrubou Roseana Sarney no “Caso Lunus”, foi de muita ajuda a Serra. E agora?Perguntas não faltam. Faltará quem as responda?
Sérgio de Souza é jornalista.

6. No blog Tamos com raiva, estão sendo postados artigos e comentários sobre os candidatos presidenciais do segundo turno. Não deixe de ler, afinal é fundamental conhecer bem quem será o próximo presidente: www.tamoscomraiva.blogger.com.br

7. Kaká Andrade e Maria Teresa Armonia me encaminharam este email:

Acredito que somente uma pessoa que nada aprendeu, não muda suas opiniões. Passei a vida toda lutando contra a Ditadura Militar e políticos da Arena; PDS; PFL; PSDB, PMDB,......

Vivi a era FHC e vi o país ser posto à venda. Vi Mais de 100 empresas públicas serem "privatizadas", sem que o produto da venda tenha sido utilizado em favor do País.

Fiquei 08 anos sem nenhum centavo de reajuste salarial. Vi colegas de trabalho, concursados, serem demitidos, através do malsinado RH 008.

Vi todo o processo de desmonte da Caixa para a privatização.

Vi milhões de brasileiros desempregados.

Vi dezenas e dezenas de CPIs serem abortadas a custa de muita grana.

Vi o Procurador Geral da União ser chamado de Engavetador Geral da União.

Vi a Polícia Federal de mãos amarradas.

Vi o FMI mandando e desmandando e os Governos dizendo amém.

Vi um país que gerou apenas 8 mil empregos mensais durante 08 longos anos.

Vi trabalhadores escravos.

Vi e vivi. Participei de dezenas de passeatas. Vi o "pensamento único" do PSDB calando jornais, rádios e tvs. Vi o Banco Central "doando" milhões de dólares para os banqueiros falidos salvarem suas peles. Vi milhares de micros e pequenas empresas fechando suas portas para dar lugar aos importados pela paridade do dólar. Vi o escândalo da compra de votos para alterar a Constituição para permitir a reeleição. Vi o escândalo do SIVAM, no qual FHC estava por trás de tudo..... Vi muitos e muitos outros escândalos.... ....

Agora que o Brasil gera mais de 100 mil empregos mensais; Que as indústrias batem recordes de produção; Que o comércio bate recordes de venda; Que o país bate recordes de exportações; Que dispensamos a tutela do FMI; Que o BB contrata milhares de novos empregados concursados; Que são efetuados diversos Concursos Públicos; Que estamos entrando em período de deflação; Que 11 milhões de famílias são atendidas pelos programas sociais do Governo; Que a agricultura familiar está tendo acesso ao crédito e de fato sendo valorizada; Que as pequenas e micros empresas voltam a abrir portas; Que a Polícia federal atua sem amarras e desbarata uma quadrilha atrás da outra, como nunca em toda a sua história; Que a fiscalização da Receita Federal está fazendo as grandes empresas e bancos recolherem impostos (tanto que a Receita federal também bate recordes de arrecadação); Que o Ministério do trabalho fiscaliza as empresas (o FGTS também bate recordes históricos de arrecadação) e está erradicando o trabalho escravo no campo........ Agora vem alguém me pedir para ir às ruas contra LULA e o governo popular???!!!

Meu amigo: TÔ FORA!!!!!

Não vou fazer parte dessa campanha anti PT/Lula. Estou pronto para ir às ruas pedir investigação de quaisquer atos de corrupção praticados por quem quer que seja. Que a Polícia Federal, O Ministério Público Federal e outras instituições sérias investiguem com total isenção, e que a Justiça puna exemplarmente todo aquele que tenha praticado irregularidade. É preciso conhecer para poder opinar. Pensem sobre... até mais

Milton Zaminato ( Prof. de Física da UNB)

8. DEBATE NA BAND

Pancadaria dará o tom da campanha presidencial

Alckmin começa melhor, mas Lula recupera terreno e encontro termina em empate. Poucos debates eleitorais tiveram temperatura tão elevada. Acusações mútuas de corrupção e incompetência marcaram a noite. > LEIA MAIS Política 09/10/2006

9. Mauro Santayana

Chumbinho de espalho

No debate da Band, o autoritarismo totalitário de Alckmin se revelou, de forma cristalina, na crítica que fez à política externa do governo. Queria, por acaso, o ex-governador, que Lula enviasse força expedicionária à Bolívia, a fim de retomar o controle das instalações da Petrobras? - 09/10/2006


10. A professora Mônica Liz encaminha este artigo, recebido por email:

Preconceito eleitoral

Por Franklin Martins

Pretendia escrever a coluna de hoje sobre as discrepâncias entre as mais recentes pesquisas do Ibope e do Datafolha. Mas mudei de idéia ao ler matéria publicada no Estadão desta segunda-feira sob o título "Rigor com a corrupção na política varia com região e condição social" e o subtítulo "Eleitor do Nordeste expressa maior tolerância com desvios do que o do Sudeste". É séria candidata ao primeiro lugar da campanha "Vamos envenenar este País" em curso em muitos jornalões brasileiros.

Jogando com números de uma pesquisa do Ibope que não prova nada, a matéria tenta sustentar a tese de que os nordestinos, os pobres e os negros dão menor valor à questão ética do que os habitantes do "Sul Maravilha", os ricos e os pobres. Diz o Estadão: "No Nordeste, 10% dos eleitores declaram que votariam em político acusado de corrupção - índice próximo do Norte/Centro-Oeste, que é de 9%. No Sul e no Sudeste, esses índices são de 6% e 7%, respectivamente".

Na realidade, as variações são mínimas, estão dentro da margem de erro da pesquisa e não indicam absolutamente nada. Aliás, se alguma coisa pode se depreender desses números é que, na valoração da questão ética, há um padrão razoavelmente homogêneo nas diferentes regiões do País - e não o contrário.

Mas há mais. O Estadão avalia também que a pesquisa do Ibope permite estabelecer relação entre cor de pele e rigor moral: "Os que se autodeclaram brancos são mais implacáveis com a ética: 88% não votariam num corrupto; os que se autodeclaram pardos cobram menos e 85% não votariam em indiciados por corrupção; mas os que se autodeclaram pretos são os menos rígidos com a ética: só 82% negam o voto a corruptos". Queira-se ou não, a idéia que se passa é de que, quanto mais escurinha for a cor da pele, maior será a frouxidão com valores éticos.

Tenha a santa paciência. Está claro que o jornal tinha uma tese. Encomendou a pesquisa para dar-lhe sustentação, digamos, científica. O levantamento, porém, não comprovou o postulado (ou o preconceito). Se houvesse bom senso, arquivava-se o assunto. Mas, como alguém quer provar, sabe-se lá por quê, que o povão não "está nem aí" para a corrupção e que nossa elite tem padrões morais dignos de Catão, a pesquisa rendeu matéria.

Mais um pouco e descobriremos que os pobres, os nordestinos e os negros são os responsáveis pela corrupção no país, que os ricos não têm nada a ver com isso, que em São Paulo nunca se pagou nem se recebeu propina e que os brancos sempre repeliram com veemência a idéia de pagar ou de levar um "por fora".

11. CRÔNICA - LULA MIRANDA

Carta a um historiador de um tempo futuro

Eles não conseguirão transformar heróis em bandidos, assim, num piscar de olhos. Não se pode, impunemente, transformar mentiras em verdades. > LEIA MAIS 10/10/2006

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial