Boletim Mineiro de História

Boletim atualizado todas as quartas-feiras, objetiva trazer temas para discussão, informar sobre concursos, publicações de livros e revistas. Aceita-se contribuições, desde que versem sobre temas históricos. É um espaço plural, aberto a todas as opiniões desde que não contenham discriminações, racismo ou incitamentos ilegais. Os artigos assinados são de responsabilidade única de seus autores e não refletem o pensamento do autor do Boletim.

12.5.10

Numero 234






No Boletim desta semana damos destaque à greve dos professores do Estado de Minas Gerais. Iniciada há mais de um mês, “passou batido” na grande imprensa mineira. Até que um desembargador, em sentença bizarra, considerou-a ilegal. Ai sim, vários artigos apareceram nos jornalecos mineiros, defendendo o fim da greve e, como sempre, tentando dizer que o “movimento é político”, aquele discurso de sempre...
O artigo do jornalista José de Souza Castro veio a calhar. Em seguida, a carta de um pai que não se deixou levar pelas banalidades fornecidas pela imprensa mineira.
Temos, ainda, um trecho de uma longa entrevista concedida pelo historiador Eric Hobsbawm à revista New Left e uma contribuição de Guilherme Souto: um comentário de Rudá Ricci sobre o jeito mineiro de fazer política.
Entre um artigo e outro, algumas peças publicitárias pouco conhecidas e que me foram enviadas pela Ana Vargas, nossa colaboradora.
Bom proveito!
Ah... não deixem de ler os comentários colocados para o número passado!





Desembargador é contra a greve, mas reconhece: trabalho do professor é essencial
José de Souza Castro
A decisão do desembargador Wander Marotta, dia 4 deste mês, deferindo antecipação de tutela para declarar a ilegalidade da greve dos professores e fixar multa diária de R$ 10 mil, a ser paga pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE), caso a greve continue, tem pelo menos um mérito: reconhece como serviço essencial o trabalho dos professores. O salário que lhes paga o governo de Minas levava a crer que dar aulas em escolas públicas era irrelevante...
A Lei 7.7783/1989 não incluiu a educação entre os serviços essenciais, o que tem provocado muita discussão nos tribunais. Mas, para Wander Marotta, não há dúvida sobre essa questão. E como tal, o Sind-UTE deveria ter notificado a Administração Pública 72 horas antes de iniciada a greve (que começou dia 8 de abril) e “garantir, durante a greve, a prestação de serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da sociedade. Como há informações no processo de que a paralisação supera 45% das escolas, o magistrado entendeu que a continuidade do serviço de educação está afetada”, conforme o texto divulgado pela Assessoria de Comunicação Institucional (Ascom) do TJMG.
A decisão de Marotta foi tomada cinco dias depois de outro desembargador do mesmo tribunal, Alberto Vilas Boas, decidir em favor do Sind-UTE/MG, num mandado de segurança coletivo, contra medida administrativa da secretária da Educação. Em sua decisão, ele também citou a Lei nº 7.783/89, que em seu artigo 7º, parágrafo único, veda a rescisão de contrato de trabalho durante greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos. Assim, no entendimento do desembargador, não é “aparentemente lícito que as contratações temporárias sejam efetivadas para realizar a substituição dos servidores, que, de forma legítima, exercem direito salvaguardado pela Constituição”.
Como o Sind-UTE/MG informou que vai recorrer da decisão de Marotta, o assunto ainda não está encerrado. Em nota divulgada dia 5 pelo site do sindicato, o sindicato afirma que a greve deve continuar, apesar da ameaça da multa. Diz: “A greve por tempo indeterminado deflagrada em Minas Gerais no dia 8 de abril configura-se no maior movimento dos últimos anos em nosso estado. Enfrentamos até aqui ameaças, tentativas de demissão, arbitrariedades, repressão, agressão física. Respondemos com organização, mobilização, manifestações e a continuidade da greve. Temos um claro objetivo: a implementação do piso salarial profissional de R$ 1.312,85 para jornada de 24 horas e nível médio de escolaridade. Enfrentamos uma articulação do Governo do Estado envolvendo mídia paga, inteligência do serviço de segurança pública, decisões políticas do Poder Judiciário.” (Às duas da tarde, milhares de professores se reuniram, naquele mesmo dia, em frente à Assembleia Legislativa, e decidiram por unanimidade que a greve continua.)

De acordo com essa nota, o desembargador Wander Marotta “não ouviu o Sind-UTE/MG antes de decidir. A decisão é de 4/5/10, véspera da nossa assembleia estadual, que acontece hoje às 14h, na Praça da Assembleia Legislativa. O Sind-UTE/MG cumpriu todos os requisitos determinados pela Lei Federal 7.783/89 que é aplicada ao direito de greve do setor público. No entanto, o Tribunal de Justiça optou por declarar a ilegalidade da nossa greve. O Sind-UTE/MG recorreu da decisão do TJMG e está se organizando para assumir a multa diária de R$ 10.000,00.”

E a imprensa?
Ao que parece, a imprensa mineira só percebeu que há quase um mês centenas de milhares de alunos das escolas estaduais estão sem aulas, quando o desembargador Marotta mandou que a greve acabasse.

A decisão foi notícia hoje nos jornais Estado de Minas, O Tempo e Hoje em Dia, entre outros. O Portal Uai, dos Associados, abriu espaço para a notícia. Nos 26 dias anteriores, só se referiu à greve, assim mesmo superficialmente, por cinco vezes. Ontem, às 19h11, sob a manchete “Justiça suspende greve dos professores da rede estadual”, o portal informou sobre o que decidira Marotta. Até as 15h50 de hoje, o portal registrou 121 comentários à notícia.

Escreveu o leitor que se identificou como Volney Costa: “Professores, sou de Belo Horizonte, acompanho tudo pela imprensa , e não tinha visto nada noticiado. Já ouvi dizer que tem muitos jornalistas na folha de pagamento do estado. Não seria possível requerer judicialmente quais os jornalistas estão na folha, pois não noticiam nada?” Fabrício Leite, pouco antes, escrevera: "Nossa! quando é contra os professores vocês procuram colocar a maior letra; a favor desse estado irresponsável, o destaque é grande. Mas, mesmo assim, quero agradecê-los, porque ainda é o único espaço que temos para colocar a nossa insatisfação contra esse governo sanguessuga."

A maioria dos comentários, que podem ser vistos aqui
(http://www.uai.com.br/htmls/app/noticia173/2010/05/04/noticia_minas,i=158354/JUSTICA+
SUSPENDE+GREVE+DOS+PROFESSORES+DA+REDE+ESTADUAL.shtml)
reclama dos salários. Como o de alguém identificado como Carlos José Assunção: “Sr. Desembargador Wander Marotta: O auxílio reclusão de um assassino, estuprador, ladrão, pedófilo, contrabandista, traficante, etc... é de R$ 700,00. O salário base de um professor P1 em Minas Gerais é de R$ 336,00 ( menos que o salário mínimo); por isso, A GREVE CONTINUA...”

Houve quem duvidasse dessa choradeira. Um leitor, José Roberto da Silva, escreveu: “Caro Rodrigo , gostaria de ver um contracheque com estes valores que vocês estão dizendo; o governo diz uma coisa, vocês dizem outra, em quem acreditar?”.

Pois é: seria o trabalho da imprensa esclarecer isso... De qualquer forma, há ainda quem acredite na independência da imprensa mineira. Como parece ser o caso de Rodrigo Sousa, que respondeu a José Roberto: “assista amanhã o Jornal da Alterosa, estarei lá mostrando meu contra-cheque de 356,00 e os meus diplomas de mestrado e doutorado, o investimento que fiz para ser professor público.”

De fato, a TV Alterosa mostrou à noite a assembleia dos professores, a passeata que eles fizeram até a Praça 7, e o contracheque de três professores entrevistados pelos repórteres da televisão dos Associados: Rodrigo Luís Soares, Daniel Amorim e Clarice Faria. A reportagem pode ser assistida aqui:
http://www.alterosa.com.br/html/noticia_interna,id_sessao=9&id_noticia=33357/noticia_interna.shtml

Desse modo, com a confusão no trânsito do Centro da capital causada pela passeata e com os contracheques que comprovaram que os professores realmente ganham muito pouco, não é mais possível ao governo de Antonio Anastasia esconder essa realidade: é preciso mesmo valorizar o trabalho dos professores estaduais do ensino público – que exercem, de fato, um serviço essencial para a população. Mas que recebem apenas um terço do que ganham os professores da rede privada e metade dos salários dos professores da prefeitura de Belo Horizonte – que também paga muito pouco.

A imprensa, que insiste em afirmar que lida com fatos, não pode continuar desconhecendo esse fato.


Publico esta carta que me foi enviada por email.

Olá, caros internautas!
Vejam a situação da Educação em Minas, do ponto de vista de um pai. Por favor, ajudem a divulgar. É de fato um pai de alunas da Rede Estadual de Educação. E o que ele fala precisa ser considerado! Obrigada por divulgar.
Um abraço,
Márcia
Bom dia!
Sou um homem de 42 anos e penso viver em um país democrático onde os direitos dos cidadãos são respeitados, ou melhor deveriam ser, a imprensa que sempre viveu em busca de liberdade de expressão e vive falando sobre isso na TV não está ligando a mínima para os problemas do país. Hoje aqui em Minas Gerais lutamos para que nossos filhos tenham um pouco de dignidade e um futuro que não precisa ser igual a maioria dos pais, exemplo eu, sou vendedor autônomo e luto por dias melhores para minhas filhas, uma de 11 anos e outra de 16 anos, que estão impedidas de estudarem por negligência de um Governador que insiste em colocar Minas Gerais como exemplo da nação.Que Minas é essa, que não paga os professores o que lhes é devido e ainda colocam cabresto nas emissoras para não divulgarem uma greve que causa vergonha aos governantes. Será que o Governador Aécio tem recebido em dia? Onde está a TV e a liberdade de imprensa tão falada ? Porque ninguém está falando da greve dos professores aqui em Minas, onde estão as Televisões que não divulgam. Peço-lhes encarecidamente como cidadão brasileiro e Mineiro que sou, que vcs MIDIA tomem providência a respeito disso, pois o movimento de ontem na praça da Liberdade juntou mais de 20.000 professores de toda a Minas Gerais e nada saiu na TV. Por que isso ? Há 16 anos que os professores mineiros trabalham sem aumento salarial. E o que tenho eu com isso tudo ? Sou um pai preocupado com os estudos de minhas filhas que estou sendo obrigado a mudar de estado para que minhas filhas estudem! Esse é o país onde moro, essa é a imprensa que temos e esse e o Governador de Minas. Talvez se voltássemos no tempo seria Aécio / Anastásia, o famoso Faraó dos tempos bíblicos, que reinava entre leite e mel e deixava o povo comer as sobras que lhe eram dadas.
Acorda Imprensa Brasileira, acordem por favor! Agora que Minas Gerais precisa de vcs, não os vejo em lugar algum! Em nosso estado, que é modelo em Educação formam-se analfabetos por causa de cobrança em cima dos professores que não podem reprovar, ONDE ESTÃO VCS REDE GLOBO, BANDEIRANTES, RECORD, SBT, procuro e não os acho, será que são virtuais, somente virtuais?
Um Pai que quer o melhor para seus filhos e não pode pagar uma escola particular.
Wagner
.


Trecho de uma entrevista de Eric Hobsbawm à New Letf Review de janeiro/fevereiro:

Pergunta - "Era dos Extremos" termina em 1991, com um panorama de avalanche global --o colapso das esperanças de avanços sociais globais da era de ouro [segundo Hobsbawm, 1949-73]. Quais são as mudanças mais importantes desde então na história mundial?

Eric Hobsbawm - Vejo quatro mudanças principais. Primeiro, o deslocamento do centro econômico do mundo do Atlântico Norte para o sul e o leste da Ásia. Isso já estava começando no Japão nas décadas de 1970 e 80, mas a ascensão da China desde os anos 1990 vem fazendo uma diferença real. Em segundo lugar, é claro, a crise mundial do capitalismo, que vínhamos prevendo, mas que, mesmo assim, levou muito tempo para ocorrer. Em terceiro, a derrota retumbante da tentativa dos EUA de exercer a hegemonia global solo a partir de 2001 --e essa tentativa vem fracassando de modo muito visível. Em quarto lugar, a emergência de um novo bloco de países em desenvolvimento, como entidade política --os Brics [Brasil, Rússia, Índia e China]--, não tinha acontecido quando escrevi "Era dos Extremos". E, em quinto lugar, a erosão e o enfraquecimento sistemático da autoridade dos Estados: dos Estados nacionais no interior de seus territórios e, em grandes regiões do mundo, de qualquer tipo de autoridade de Estado efetiva. Isso pode ter sido previsível, mas se acelerou em um grau que eu não teria previsto.

Pergunta - O que mais o surpreendeu desde então?


Hobsbawm - Nunca deixo de me espantar com a pura e simples insensatez do projeto neoconservador, que não apenas fez de conta que a América fosse o futuro, mas chegou a pensar que tivesse formulado uma estratégia e uma tática para alcançar esse objetivo. Pelo que consigo enxergar, eles não tinham uma estratégia coerente, em termos racionais. Em segundo lugar --fato muito menor, mas significativo--, o ressurgimento da pirataria, algo que já tínhamos em grande medida esquecido; isso é novo. E a terceira coisa, que é ainda mais local: a derrocada do Partido Comunista da Índia (Marxista) em Bengala Ocidental [no leste da Índia], algo que eu realmente não teria previsto. Prakash Karat, seu secretário-geral, disse-me recentemente que o partido se sentiu sitiado e assediado em Bengala Ocidental. E está prevendo sair-se muito mal diante deste novo Congresso nas eleições locais. Isso depois de governar por 30 anos como partido nacional, por assim dizer.

Pergunta - O sr. visualiza qualquer recomposição política do que foi no passado a classe trabalhadora?

Hobsbawm - Não em sua forma tradicional. Marx [1818-83] acertou, sem dúvida, quando previu a formação de grandes partidos de classe em determinado estágio da industrialização. Mas esses partidos, quando foram bem-sucedidos, não operaram puramente como partidos da classe trabalhadora: se queriam estender-se para além de uma classe estreita, o faziam como partidos do povo, estruturados em torno de uma organização inventada pela classe trabalhadora e voltada a alcançar os objetivos dela. Mesmo assim, havia limites à consciência de classe. No Reino Unido, o Partido Trabalhista nunca conquistou mais de 50% dos votos. O mesmo se aplica à Itália, onde o Partido Comunista era muito mais um partido do povo. Na França, a esquerda era baseada sobre uma classe trabalhadora relativamente fraca, mas que conseguiu se reforçar como sucessora essencial da tradição revolucionária. O declínio da classe operária manual na indústria parece, de fato, ter atingido seu estágio terminal. Ainda restam ou vão restar muitas pessoas fazendo trabalhos manuais, e a defesa das condições de trabalho delas continua a ser uma tarefa importante de todos os governos de esquerda. Mas essa defesa não pode mais ser o alicerce principal das esperanças dessas pessoas: elas não possuem mais potencial político, nem mesmo teoricamente, porque não possuem o potencial de organização da classe operária antiga. Houve três outras mudanças negativas importantes. Uma delas, é claro, é a xenofobia --que, para a maior parte da classe trabalhadora é, nas palavras usadas certa vez por [August] Bebel, "o socialismo dos tolos": proteja meu emprego contra pessoas que estão competindo comigo. Em segundo lugar, boa parte da mão de obra e do trabalho nos setores que a administração pública britânica qualificava no passado como "graus menores e manipulativos" não é permanente, mas temporária: são estudantes e migrantes trabalhando com catering [fornecimento de refeições para linhas aéreas, gastronomia hospitalar e cozinhas de navios], por exemplo. Assim, não é fácil enxergá-la como tendo potencial de ser organizada. A única parte facilmente organizável desse tipo de mão de obra é a que é empregada por autoridades públicas, e isso devido ao fato de essas autoridades serem politicamente vulneráveis. A terceira e mais importante mudança é, a meu ver, a divisão crescente gerada por um novo critério de classe: a saber, a aprovação em exames de escolas e universidades como critério de acesso a empregos. Pode-se dizer que se trata de uma meritocracia, mas ela é medida, institucionalizada e mediada por sistemas de ensino. O que isso fez foi desviar a consciência de classe da oposição aos patrões para a oposição a representantes de alguma elite: intelectuais, elites liberais, pessoas que se erguem como superiores a nós. Podem existir meios novos? Não podem mais ser em termos de uma classe única, mas, na minha opinião, isso nunca foi possível. Existe uma política progressista de coalizões, mesmo coalizões relativamente permanentes como as que unem, digamos, a classe média instruída, leitora do "The Guardian", e os intelectuais --os altamente instruídos, que de modo geral tendem a posicionar-se muito mais à esquerda que outros-- e a massa dos pobres e ignorantes. Os dois grupos são essenciais para um movimento como esse, mas hoje talvez seja mais difícil uni-los do que era antes. É possível, em certo sentido, os pobres se identificarem com os multimilionários, como acontece nos EUA, dizendo "eu só precisaria de sorte para virar popstar". Mas não é possível dizer "bastaria um pouco de sorte para eu virar ganhador do Prêmio Nobel". Isso cria um problema real quando se trata de coordenar as posições políticas de pessoas que, objetivamente falando, poderiam estar do mesmo lado.






Mais uma tentativa de explicar o jeito mineiro de fazer política (Rudá Ricci)

Por partes:
1) Mineiro é desconfiado? Acho que é lenda. Com quase duas décadas por estas bandas, acho que há duas características principais, na política: o personalismo e o estilo rural-comunitário;
2) Minha tese é que a política mineira é a mais feminina do país, marcada pelo poder privado. Mineiro não gosta do que é público. Ouvi, uma vez, um padre dizer que mineiro gosta de denúncia mas não de quem denuncia;
3) Esta marca vem da ausência dos homens na administração do lar, em virtude do nomadismo dos ciclos econômicos, a começar pelos tropeiros. As mulheres assumiram papel preponderante nas decisões locais e são muito fortes na condução das famílias. Daí (em função dos homens nômades) que há tantas duplas e triplas famílias dentre os homens do interior, muitas vezes toleradas pelas mulheres. E daí a expressão, no Vale do Jequitinhonha: "viúva de marido vivo". Daí Xica da Silva, Dona Beja e tantas outras. Elas construíram a lógica da administração doméstica e marcaram uma cultura local-regional, tão profunda na política mineira. Por aqui, nada de embate e confronto direto e agressivo como os paulistas gostam;
4) Eu nunca consegui entender totalmente como um candidato estadual ganha eleição por estas bandas. Eles não aparecem. Os que aparecem muito acabam perdendo. Veja o caso do Hélio Costa: de onde vem esta liderança nas pesquisas? Eu não tenho a menor idéia. Ele está ausente em quase tudo que é público, não apresentou nenhum projeto relevante, mas anda pelas estradas de terra (o que conta por aqui);
5) O que o pessoal do PMDB mineiro diz é que ele sempre chegou muito perto de se eleger. O que faltava era justamente uma aliança para valer com PSDB ou PT. Veremos se isto é fato;
6) No mais, o que conta por aqui é aecismo-lulismo. O resto é balela. Partido é vertigem. E Aécio, não tenho dúvidas, vai cristianizar Serra. Porque ele não vai abrir o Estado para Serra ser a figura mais importante da República. Minas é do Aécio. Ele já fez isto antes. Com Alckmin (a imprensa tem memória curta) chegou a fazer um grande encontro com prefeitos mineiros. E, por baixo do pano, liberou e apoiou os lulécios. Tenho relatos de prefeitos lulécios que se reuniram com Aécio na sede do governo, traçando planos. Os tucanos não mineiros desejam ardentemente que isto não ocorra e até a Folha entrou neste embalo com a coluna do Fernando Barros. Trata-se de uma ilação de quem não entende nada de mineiro. O lulismo por aqui é Fernando Pimentel;
7) Acho que Patrus (e sua geração PT anos 80) morreu neste final de semana. Ele nunca disputou o PT (nem ele, nem Nilmário Miranda, nem Luis Dulci, nem André Quintão, todos medalhões deste bloco), enquanto Pimentel fez todo jogo de praxe (filiou até poste, financiou campanhas de prefeitos do interior em 2008 etc). O PT-lulista está como peixe no aquário em relação ao tradicional sistema partidária tupiniquim. Já não é outsider. E, enquanto o PSDB é o guardião deste sistema absolutamente distante das ruas), o PT caminha para dar as mãos e sair por aí, sem lenço nem documento, convidando, de passagem, o PMDB. Aposto todas minhas fichas que a aliança em curso (coisa de poucos anos) é o fechamento completo do sistema partidário PT/lulista-PSDB-PMDB. Minha dúvida é se os tucanos paulistas serão alijados, terão menos força ou se serão peça fundamental desta trama. Se forem peça fundamental, demorará mais tempo para ocorrer a aliança (até a geração FHC-Serra ser substituída). Se tiverem menos peso (o que pode ocorrer com uma eventual derrota de Serra à Presidência), sobe a geração mais afeita à concertações políticas, com liderança de Aécio e tucanos cearenses;
8) Portanto, cá em Minas, Hélio Costa é nada como Anastasia o é. O que conta é a vontade de Lula-Pimentel e Aécio. O resto é papo furado. Em outras palavras, a questão é se Aécio joga suas fichas em Anastasia ou se resolve fazer corpo mole, procurando avaliar o cenário até meados de setembro. O que posso garantir é que mesmo cristianizado (o que não é tão certo assim, neste momento) Anastasia não estará fora do projeto vitorioso. Anastasia é a Dilma de Minas;
9) O que os analistas com pouca experiência no mundo político concreto ou não mineiros não entendem é que partido não conta nada em MG. São agrupamentos políticos ao redor de líderes que se aproximam e conversam com frequência. Os "militontos" ficam brigando entre si e os líderes mineiros acertam tudo nos bastidores. Há uma ética nas disputas por aqui - como em duelos do século XIX -, um código não escrito, difícil de entender. É uma arte mineira. Eu mesmo, só percebo sinais e analiso resultados. Mas o que ocorre de fato, nunca entendi;
10) Termino com esta: se Lula desejar, Hélio Costa se torna governador. Mas precisará convencer Aécio.

Ficou claro ou ainda está muito mineiro?







Se renueva la base de datos Bibliografía Histórica sobre la Ciencia y laTécnica en España, elaborada por el Instituto de Historia de la Medicina y dela Ciencia López Piñero bajo de la dirección de María Luz López Terrada yJulia Osca Lluch, con más contenidos y mejoras en la búsqueda y descarga deregistros.
Actualmente la base de datos Bibliografía Histórica sobre la Ciencia y laTécnica en España está ubicada en el servidor del Instituto de Historia de laMedicina y de la Ciencia López Piñero, y se puede acceder a ella de formalibre a través de esta página
(pinchar aquí <http://www.ihmc.uv-/csic.es/buscador.php>

El nuevo diseño de la base de datos presenta mejorasimportantes, entre las que hay que destacar una mayor cobertura, mayor númerode campos que componen cada registro bibliográfico, diferentes opciones debúsqueda y las nuevas posibilidades de exportación y descarga de datos. Lanueva aplicación informática permite varios tipos de búsqueda: simple(utilizando términos de búsqueda sin emplear operadores booleanos), avanzada(por un solo campo o mediante la combinación de varios campos) y por índices(a partir del listado de descriptores de indización de cada campo). Ladescarga de resultados permite generar, de forma personalizada, ficheros desalida con los registros recuperados eligiendo los campos que se desea incluiry el formato (TXT, Word, Pdf o Excel).




Minha amiga Alda comunica um projeto realmente interessante:

Desde agosto, iniciei com umas aulas numa empresa que presta serviços de Pós graduações - UNESAV - Unidade de Ensino e Aprendizagem de Viçosa.Esta empresa é de um professor daqui, doutor pela UFV.Iniciei com 2 disciplinas para o curso de Psicopedagogia - Neuropsicologia e Educação Inclusiva.Recentemente - desde fevereiro - juntamente com uma colega Gracilene - Assistente Social, do CRAS - onde trabalhamos pela Prefeitura, elaboramos um programa para uma Pós sobre "Violência Doméstica contra Crianças e Adolescente " e oferecemos para a UNESAV e já iniciamos turmas nas cidades de Ubá, Viçosa, Ponte Nova, Muriaé.Estão previstas novas turmas em Conselheiro Lafaiete, São João del Rei e em Juiz de Fora.Este tema tem uma expansão muito ampla, visto que os CRAS - Centro de Referência em Assistência Social e CREAS-Centro de Referência Especializado em Assistência Social, estão por todos os municípios mineiros e a qualificação das pessoas que atuam nestas áreas não atende ao que a demanda aponta de necessidades.
Busque mais informações em
UNESAV - PÓS GRADUAÇÃO EM VIOLÊNCIA DOMÉSTICA http://www.unesavposgraduacãoviolenciadomestica.blogspot.com/






Organizações Não-Governamentais: o que se oculta no “não”?
por JOANA APARECIDA COUTINHO*

Resumo: O texto trata do surgimento das ONGs e o papel que desempenham na implementação das políticas neoliberais. Se na década de 70 se vinculavam aos movimentos sociais; na década de 90 sua principal característica é a “parceria” com o Estado e fundações empresariais. O termo ONG foi cunhado pela primeira [...] LEIA NA ÍNTEGRA: http://espacoacademico.wordpress.com/






A verdadeira lição da crise grega: deixemos que o neoliberalismo morra com o euro
Por que há déficits orçamentários enormes em todo planeta? Não é porque, de repente, todos os funcionários do mundo tenham se convertido em burocratas de estilo soviético. É, e muito, porque uma economia global em declínio levou à diminuição de renda e a um gasto público maior na rede de seguridade social. O cúmulo da ignorância econômica é propor a destruição dessa rede de seguridade social a partir de uma extrapolação das lições equivocadas proporcionadas pelos problemas particularíssimos em que a própria Zona do Euro se meteu. A análise é de Marshall Auerback.
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16587&boletim_id=693&componente_id=11613





A diferença entre a teoria e a prática do neoliberalismo

No livro "O Neoliberalismo: história e implicações", David Harvey mostra a debilidade teórica do neoliberalismo, a diferença entre sua teoria e sua prática, até o paradoxo de que para criar um mercado livre, é preciso muita intervenção do Estado. Relembre-se a “dama de ferro” com sua pesada intervenção nos sindicatos ingleses, e com os “presentes” das privatizações, e o período FHC que começa, precisamente, imitando a Tatcher, com uma queda de braço com o sindicato dos petroleiros, e vai em seguida criar o Proer, para em nome do mercado livre, livrar o sistema bancário da bancarrota. O artigo é de Francisco de Oliveira, para o Jornal de Resenhas.
O NEOLIBERALISMO: HISTÓRIA E IMPLICAÇÕES
David Harvey
Tradução: Adail Sobral e Maria Stela Gonçalves
EDIÇÕES LOYOLA
250 p., R$ 42,70

Leia resenha em:
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16585&boletim_id=693&componente_id=11616




João Cândido, petróleo, racismo e emprego

A Transpetro lançou ao mar o navio petroleiro João Cândido. Batizado com o nome de um dos nossos heróis, marinheiro negro, filho de escravos e líder da Revolta da Chibata, o navio tem 247 metros de comprimento, casco duplo que previne acidente e vários significados históricos. Primeiro, leva a industrialização para Pernambuco, contribuindo para reduzir as desigualdades regionais. Em segundo lugar, dá um cala-boca para quem insinuou de forma maldosa que o PAC era apenas virtual. Em terceiro, prova que está em curso a remontagem da indústria naval brasileira criminosamente destruída na era da privataria. O artigo é de Beto Almeida.
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16584&boletim_id=693&componente_id=11617





Microempresários repudiam posição de Serra sobre Mercosul

Reunidos na Espanha, microempresários europeus e latinoamericanos aprovaram uma moção de repúdio às declarações do candidato tucano que qualificou o bloco sulamericano como uma "farsa" e defendeu sua "flexibilização". Em nota, eles defendem o Mercosul como o "mais importante acordo econômico e cultural da América Latina" e advertem para os riscos decorrentes do enfraquecimento do processo de integração no atual quadro de crise internacional.
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16576&boletim_id=693&componente_id=11619





A edição extra da História Viva, intitulada O Olhar dos viajantes, está sendo publicada em 3 volumes, dos quais dois já estão nas bancas.
A idéia é ter um apanhado do país, tal como foi descrito por exploradores, cientistas e artistas desde o século XVI.






Informo que a Revista Espaço Acadêmico, edição nº 108, Maio de 2010, foi publicada.
Esta edição é ESPECIAl: 9º ANIVERSÁRIO!
Acesse: hhttp://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/issue/current

Neste número, destaca-se o
DOSSIÊ - CRISE, SUICÍDIO E LUTAS SOCIAS NA FRANÇA, Organizado por Elaine Amorim e Santiane Arias.




MISCELÂNEA
Salvem os brinquedos!
Blog relembra brinquedos antigos e convida historiadores a pensarem sobre esse importante capítulo da história cultural
VÍDEOS HISTÓRICOS
O Historiador Roger Chartier no programa Roda Viva
Projeto Cemitério dos Escravos - Rio de Janeiro
Depoimentos da História do Teatro - Tv Oi Casa Grande
FÓRUNS EM DESTAQUE
Nossa língua é portuguesa ou brasileira?
Para quê serve a História?
Visite Cafe Historia em: http://cafehistoria.ning.com/?xg_source=msg_mes_network







John Ross: O que os Estados Unidos querem do México?
Como e porque Washington viciou o México na Guerra contra as Drogas
O grande golpe
por John Ross, no Counterpunch
leia aqui: http://www.espacoagora.com.br/?p=1019





Nas bancas o numero 29 da revista Leituras da História.
A mitologia grega e a nova versão do filme “Fúria de Titãs” – Caminhos secretos nas Igrejas do Velho Mundo – Carlos Magno – Os primórdios maçônicos portugueses – Hieróglifos modernos – Entrevista com Brad Meltzer.



A era Benito Juárez e a história do liberalismo no México
Escrito por Guga Dorea
11-Mai-2010

Considerado por muitos como um herói da pátria e por outros o personagem que por sua visão liberal de mundo veio a defender os interesses da classe burguesa daquele país, esquecendo a miséria e exclusão da grande maioria da população, Benito Juárez foi um dos principais precursores do que é o Estado mexicano contemporâneo.
http://www.correiocidadania.com.br/content/view/4626/9/







13 de maio: abolição inacabada
Escrito por Willian Luiz da Conceição
11-Mai-2010

Neste ano completamos 122 anos de lei Áurea que aboliu a escravidão no Brasil. Este processo foi lento, limitado, gradual e deve ainda hoje ser problematizado, pois não garantiu aos negros uma condição de dignidade em um país estruturalmente desigual.
http://www.correiocidadania.com.br/content/view/4627/9/




Nas bancas o numero 79 da revista História Viva.
Dossiê Guerra dos Cem Anos, o conflito que inventou o Estado moderno – Vargas e a oligarquia cearense massacram os sem-terra do Sitio Caldeirão – Porque os vampiros nos fascinam – Biografia de Arquimedes – Em busca do Eldorado africano.





Milhares de fotos antigas, do inicio do século 20.
Não deixem de acessar os endereços abaixo, deem uma navegada, pois é sensacional.


http://www.shorpy.com/

http://vintagraph/








CONCURSO PÚBLICO
Vagas para História Ambiental e História da Ciência. Estão abertas as inscrições para concurso nas áreas de História ambiental (01 vaga) e História da ciência (01 vaga), História da América(01 vaga) no departamento de História da UFMG. Maiores informações acesse: http://www.fafich.ufmg.br/secgeral/concursos/historia/




Estarão abertas as inscrições para o Concurso Público de Provas e Títulos para Professor de Ensino Superior, destinado ao provimento de 02 (duas) vaga na Classe de Professor ASSISTENTE, em Regime de Trabalho de Dedicação Exclusiva, para a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM, Campus Diamantina, conforme discriminação a seguir:

ÁREA(S) DE CONHECIMENTO
Turismo: Gestão Financeira, Gestão de Meios de Hospedagem, Qualidade no Turismo, Administração de Materiais.
REQUISITOS - Graduação em Administração, Hotelaria, Ciências Contábeis, Economia, Turismo com Mestrado em área de conhecimento relacionada
CURSO - Turismo
LOCAL - Campus Diamantina
VAGAS - 01

Legislação Aplicada ao Turismo, ????
????
Turismo
Campus Diamantina
01

REMUNERAÇÃO: Professor Assistente: R$ 4.442,59 (quatro mil, quatrocentos e quarenta e dois reais e cinqüenta e nove centavos), sendo constituída das seguintes parcelas: - Vencimento básico: R$ 2.001,85; Retribuição por titulação – R$1.406,62 e Gratificação específica do Magistério Superior: R$ 1.034,12.

1. DAS INSCRIÇÕES:
1.1. De 19 de maio a 11 de junho de 2010.
1.2. Horário: segunda a sexta-feira, de 08:00 às 11:00 e de 14:00 às 17:00 horas.
1.3. Local: Superintendência de Recursos Humanos - SRH do Campus de Diamantina, Rua da Glória, 187 Centro, Diamantina - MG, 39100.000 - Fone: (38) 3532-6019.
1.4. No ato da inscrição o candidato deverá apresentar os seguintes documentos:
a) Requerimento de inscrição;
b) Cópia da carteira de identidade. Se estrangeiro deverá ser portador de visto permanente ou protocolo de solicitação do visto;
c) declaração de estar em dia com as obrigações eleitorais e se do sexo masculino, com o Serviço Militar, exceto estrangeiro;
d) curriculum vitae ou currículo em formato Lattes/CNPq em via única;
e) comprovante do recolhimento da taxa de inscrição.

BOLETO BANCÁRIO PARA PAGAMENTO DE INSCRIÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO
Endereço: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/
Clicar no link PORTAL SIAFI
Clicar na opção GUIA DE RECOLHIMENTO
Clicar na opção IMPRESSÃO DE GRU
Preencher o formulário observando os seguintes códigos:
Unidade favorecida: Código 153036 Gestão 15243
Recolhimento: Código 288306
Número de referência 16888315000157001
Valor da inscrição: R$ 110,00 (cento e dez reais)
Após o preenchimento clicar em EMITIR GRU SIMPLES.
Imprimir.
Pagar este boleto em agências do Banco do Brasil.
A taxa de inscrição uma vez paga não será restituída.




INFORMATIVO ANPUH

Já estão disponíveis no site da Anpuh os primeiros informes sobre a organização do próximo simpósio nacional, em julho de 2011, na USP.
ANPUH - Associação Nacional de Históriahttp://www.anpuh.org/

Concursos

PROFESSOR ADJUNTO DE HISTÓRIA MODERNA E DE HISTÓRIA DA AMÉRICA COLONIAL
Instituição: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ/Nova Iguaçu)
Inscrições: até 11/05/2010Mais informações

2 VAGAS PARA PROFESSOR ADJUNTO: ÁREA DE HISTÓRIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS
Instituição: Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)
Inscrições: 18/05/2010Mais informações

CONCURSO UNIFAL- VAGAS PARA HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA, DA ÁFRICA E DA AMÉRICA
Instituição: Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL/MG)
Inscrições: até 27/05/2010 (H. Contemporânea e H. da América) e até 24/05/2010 (H. da África)Mais informações

CONCURSO PÚBLICO - MAGISTÉRIO SUPERIOR (4 VAGAS PROF. ADJUNTO)
Instituição: Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
Inscrições: até 24/05/2010Mais informações

CONCURSO PÚBLICO - MAGISTÉRIO SUPERIOR (1 VAGA PROF. ADJUNTO E 1 VAGA PROF. ASSISTENTE)
Instituição: Universidade de Brasília (UNB)
Inscrições: até 24/05/2010Mais informações

MONOGRAFIA DE HISTÓRIA DO PARANÁ
Instituição: Associação Nacional de História do Paraná (ANPUH-PR)
Inscrições: até 15/07/2010Mais informações

PRÊMIO DE PESQUISA - MEMÓRIAS REVELADAS
Instituição: Arquivo Nacional
Inscrições: até 30/07/2010Mais informações

PROFESSOR ADJUNTO (2 VAGAS) - HISTÓRIA MODERNA E CONTEMPORÂNEA Instituição: Universidade Federal de Goiás (UFG)
Inscrições: verificar edital Mais informações

CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE NA FURG
Instituição: Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
Inscrições: verificar edital Mais informações



Congressos e Eventos

COLÓQUIO HISTORIOGRAFIA E HISTÓRIA INTELECTUAL (novo)
Data: 17 e 18 de maio de 2010
Local: Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)Mais informações

SEMINÁRIO: PRÁTICAS SOCIAIS, NARRATIVAS VISUAIS E RELAÇÕES DE PODER: VISÕES CONTEMPORÂNEAS
Data: 18 a 20 de maio de 2010
Local: Universidade Federal de Viçosa (UFV)Mais informações

CONGRESSO INTERNACIONAL: PEQUENA NOBREZA NOS IMPÉRIOS IBÉRICOS DE ANTIGO REGIME
Data: 18 a 21 de maio de 2010
Local: Instituto de Investigação Científica Tropical - Lisboa Mais informações

V SIMPÓSIO INTERNACIONAL ESTADOS AMERICANOS: O BICENTENÁRIO DAS INDEPENDÊNCIAS (1810-2010)
Data: 8 a 10 de junho 2010
Local: Universidade de Passo Fundo, Campus I (UPF)Mais informações

SEMINÁRIO VISÕES DO VALE 5: DESENVOLVIMENTO E SUSTENTABILIDADE (novo)Data: 9 e 10 de junho de 2010
Local: Universidade Federal de Minas Gerais - Campus Pampulha (UFMG)Mais informações

III SIMPÓSIO ILB - ITINERÁRIOS DA PESQUISA HISTÓRICA: MÉTODOS, FONTES E CAMPOS TEMÁTICOS (novo)
Data: 12 a 14 de junho de 2010
Local: Universidade Federal de Ouro Preto ( UFOP)Mais informações

XIII JORNADAS INTERNACIONAIS SOBRE AS MISSÕES JESUÍTICAS: FRONTEIRAS E IDENTIDADES: POVOS INDÍGENAS E MISSÕES RELIGIOSAS
Data: 15 a 18 de junho de 2010
Local: Universidade Federal da Grande DouradosMais informações

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE A ESCRAVIDÃO AFRICANA NO BRASIL
Data: 15 a 18 de junho de 2010
Local: Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Campus NatalMais informações

I SIMPÓSIO DE HISTÓRIA ORAL E MEMÓRIA: MEMÓRIA DA ZONA LESTE DE SÃO PAULO
Data: 22 e 23 de junho de 2010
Local: Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP(EACH/USP)Mais informações

XII ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-CE - HISTÓRIA: POLÍTICAS PÚBLICAS E PRÁTICAS CULTURAIS
Data: 21 a 25 de junho de 2010
Local: Universidade Regional do Cariri -Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Nova Olinda e Assaré Mais informações

III COLÓQUIO DE HISTÓRIA E ARTE: MOVIMENTOS ARTÍSTICOS E CORRENTES INTELECTUAIS (novo)
Data: 23 a 25 de junho de 2010
Local: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)Mais informações

XI SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISADORES DA HISTÓRIA DAS COMUNIDADES TEUTO-BRASILEIRAS
Data: 01 a 03 de julho de 2010
Local: Salão de Atos da FEEVALE Mais informações

V SEMINÁRIO DE ESTUDOS MEDIEVAIS - IMAGENS DE JOANA D´ARC: IDADE MÉDIA, CULTURA E REPRESENTAÇÕES
Data: 12 a 16 de julho de 2010
Local: Faculdade de Economia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Mais informações

X ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-MS - AS MUITAS (IN)DEPENDÊNCIAS DAS AMÉRICAS: DOIS SÉCULOS DE HISTÓRIA
Data: 13 a 16 de julho de 2010
Local: Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - Campus de Três Lagoas
Mais informações

XVII ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-MG - CONHECER, PESQUISAR E ENSINAR HISTÓRIA: O LUGAR DO CONHECIMENTO NO MUNDO CONTEMPORÂNEO
Data: 18 a 23 de julho de 2010
Local: Universidade Federal de Uberlândia - Campus Santa MônicaMais informações

IV CONGRESSO LATINO-AMERICANO IMAGENS DA MORTE
Data: 19 a 23 de julho 2010
Local: Universidade Salgado de Oliveira - Campus NiteróiMais informações

CICLO DE DEBATES 2010- A PRESENÇA JESUÍTICA NA AMÉRICA PORTUGUESA
Data: 22 a 29 de julho de 2010
Local: Páteo do CollégioMais informações

XIV ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-PB: HISTÓRIA, MEMÓRIA E COMEMORAÇÕES
Data: 26 a 29 de julho de 2010
Local: Universidade Federal da ParaíbaMais informações

X ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-RS: HISTÓRIA E LIBERDADE
Data: 26 a 30 de julho de 2010
Local: Universidade Federal de Santa MariaMais informações

V ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-BA: HISTÓRIA E MEMÓRIAS: LUGARES, FRONTEIRAS, FAZERES E POLÍTICAS
Data: 27 a 30 de julho de 2010
Local: Universidade Católica do Salvador (UCSAL)Mais informações

IV SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA HISTORIOGRAFIA: TEMPO PRESENTE & USOS DO PASSADO (novo)
Data: 16 a 19 de agosto de 2010
Local: Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)Mais informações

IV ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-RN: IDENTIDADES NA HISTÓRIA
Data: 16 a 20 de agosto de 2010
Local: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)Mais informações

SEMINÁRIO CARIRI CANGAÇO (novo)
Data: 17 a 22 de agosto de 2010
Local: Aurora; Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha e Missão VelhaMais informações

FAZENDO GÊNERO
Data: 23 a 26 de agosto de 2010
Local: Universidade Federal de Santa CatarinaMais informações

XIII FÁBRICA DE IDÉIAS: PATRIMÔNIO, MEMÓRIA E IDENTIDADE
Data: 09 a 27 de agosto de 2010
Local: Universidade Federal da Bahia (UFBA)Mais informações

XI CONGRÈS INTERNATIONAL DES SCIENCES HISTORIQUES
Data: 22 a 28 de agosto 2010
Local: L'Universiteit van Amsterdam (UvA)Mais informações

III ENCONTRO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA COLONIAL
Data: 04 e 07 de setembro de 2010
Local: Universidade Federal de PernambucoMais informações

XIII ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-SC - HISTÓRIA: DESAFIOS PARA O TEMPO PRESENTE
Data: 05 a 08 de setembro de 2010
Local: Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UnochapecóMais informações

XX ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-SP: HISTÓRIA E LIBERDADE
Data: 06 a 10 de setembro de 2010
Local: Universidade Estadual de São Paulo - Campus FrancaMais informações

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA AMBIENTAL E MIGRAÇÕES
Data: 13 a 15 de setembro de 2010
Local: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)Mais informações

II CONGRESSO INTERNACIONAL DO NÚCLEO DE ESTUDOS DAS AMÉRICAS: SISTEMAS DE PODER,PLURICULTURALIDADE E INTEGRAÇÃO
Data: 20 a 24 de setembro de 2010
Local: Universidade do Estado do Rio de JaneiroMais informações

IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM MEMÓRIA E PATRIMÔNIO
Data: 22 a 24 de setembro de 2010
Local: Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)Mais informações

XII ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-PR: REGIÕES, IMIGRAÇÕES, IDENTIDADES
Data: 09 a 12 de outubro de 2010
Local: Unicentro - Campus de IratiMais informações

IV CONGRESSO NACIONAL DE ARQUIVOLOGIA
Data: 19 a 22 de outubro de 2010
Local: Universidade Federal do Espírito SantoMais informações

ENCONTRO DO GT HISTÓRIA DAS RELIGIÕES E RELIGIOSIDADES - ANPUH
Data: 20 a 22 de outubro de 2010
Local: Universidade Federal de Santa CatarinaMais informações

XII SIMPÓSIO INTERNACIONAL IHU-A EXPERIÊNCIA MISSIONEIRA: TERRITÓRIO, CULTURA E IDENTIDADE (novo)
Data: 25 a 28 de outubro de 2010
Local: Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UnisinosMais informações

CIENCIAS, TECNOLOGÍAS Y HUMANIDADES. DIÁLOGO ENTRE LAS DISCIPLINAS DEL CONOCIMIENTO. MIRANDO AL FUTURO DE AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE
Data: 29 de outubro a 01 de novembro de 2010
Local: Universidad de Santiago de ChileMais informações

XIII SIMPÓSIO INTERCIONAL PROCESSO CIVILIZADOR (novo)
Data: 9 a 12 de novembro de 2010
Local: Universidad Nacional de ColombiaMais informações








0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial